"Respiro música", diz candidata que não enxerga

Quando tinha 1 ano, Giovanna Maira da Rosa Silva perdeu a visão por causa de um câncer na retina. Preocupados, seus pais sempre perguntavam aos médicos sobre os problemas que ela teria na escola. Eles recomendaram que a pusessem em contato com a música, capaz de ampliar o mundo de quem tem deficiência visual.Aos 3 anos, Giovanna começou a ter aulas de piano. Aos 17, é uma das vestibulandas de Música da ECA. ?Com o tempo, me apaixonei pelo canto, respiro música.? Autodidata, ela arranha alguma coisa em violão e flauta. ?A única dificuldade é achar locais que ensinam teoria para deficientes visuais.?Na prova, ela teve ajuda de uma ex-aluna do curso que também tem deficiência visual. ?Ela entende de musicografia em braile, quem sabe não consigo aprender? Tudo que aprendi foi com o esforço de professores que preparavam as aulas com cola em cima das notas, para ficarem em alto-relevo.?

Agencia Estado,

23 de outubro de 2003 | 12h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.