Márcio Fernandes/Estadão
Márcio Fernandes/Estadão

Religião pode ser tão importante quanto a linha pedagógica

Caso a escola seja religiosa, é importante verificar se o que a instituição ensina está de acordo com o que a família acredita

Tatiana Cavalcanti e Camila Santos, Especiais para o Estado

20 Setembro 2015 | 03h00

Para alguns pais, a religião também pode ser tão importante na escolha quanto a linha pedagógica. O músico Michelino, por exemplo, não quis que o filho Guile estudasse num colégio religioso. “Buscamos uma escola que também fosse laica, que tivesse ambiente tranquilo e desse uma educação crítica.”

Caso a escola seja religiosa, é importante verificar se o que a instituição ensina está de acordo com o que a família crê. A consultora de viagens Ana Paula Lima, de 30 anos, não se incomoda que os filhos Lucas, de 9 anos, e Vitor, de 8, ambos no ensino fundamental 1, tenham aulas de religião no Instituto Madre Mazzarello, no Mandaqui, na zona norte, onde passaram a estudar neste ano.

“Os livros de ensino religioso que eles utilizam falam muito mais sobre respeito e família do que sobre a religião em si. É para todos. Tem orações, mas nada é forçado.”

A adaptação de Lucas e Vitor ao novo ambiente não foi um problema. “Não tiveram dificuldades. Porém, as notas caíram um pouco, já que o Mazzarello tem algo que me agrada muito: erros de português tiram nota em qualquer matéria.” No 4.º ano, Lucas tem aulas de espanhol e o tablet já faz parte da sua rotina escolar. “É uma escola moderna, com ensino tradicional. Eles têm Filosofia na grade curricular e, com isso, aprendem a pensar e a questionar”, destaca a mãe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.