Reitoria da USP volta a criticar professores em boletim oficial

Texto agora responde a críticas do 'manifesto pela democratização'

Estadão.edu,

13 Março 2012 | 18h25

Pela segunda vez consecutiva, a reitoria da USP usou boletim oficial para criticar professores da instituição. A edição de 9 de março do USP Destaques é inteiramente ocupada por uma resposta ao "manifesto pela democratização" relançado no começo do mês. No boletim, a reitoria, chefiada por João Grandino Rodas, afirma que não promove perseguições políticas e defende as recentes reintegrações de posse de prédios ocupados por manifestantes e a presença da Polícia Militar no câmpus. 

Originalmente lançado em novembro, o manifesto dos professores acusa a reitoria de promover perseguições políticas com base em um regimento disciplinar da época da ditadura, reclama da "forma pouco democrática das eleições dos dirigentes da USP" e critica "a reecorrente mobilização da força policial-militar para a resolução de conflitos políticos". No ano passado, a mobilização foi desencadeada pelo fato de um monumento às vítimas da ditadura instalado na Praça do Relógio fazer menção à "Revolução" de 1964 (termo usado pelos defensores do golpe militar).  

No boletim do dia 9, a reitoria retoma a ameaça, feita na edição anterior, de processar diretores da Associação de Docentes da USP (Adusp) caso não esclareçam afirmações feitas à imprensa sobre "desvio de verbas acadêmicas para construções". A reitoria afirma que é sua obrigação cobrar esclarecimentos da entidade: "Mesmo que, por hipótese, não houvesse, nas normas internas da USP, qualquer referência ao poder disciplinar, os dirigentes dessa universidade não teriam como deixar de observá-lo, sob pena de responsabilidade."

Na semana passada, a Adusp afirmou em seu site que  "não abrirá mão do direito de expressar seu entendimento sobre toda e qualquer questão, especialmente as relacionadas à USP e à atividade docente".

Em setembro de 2011, a reitoria dedicou duas edições consecutivas do boletim para criticar a administração da Faculdade de Direito - anteriormente chefiada pelo atual reitor, João Grandino Rodas.

Mais conteúdo sobre:
USPBoletimreitoriaprofessores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.