Márcio Fernandes/AE
Márcio Fernandes/AE

Reitoria da USP e grevistas se comunicam por meio da imprensa

Sindicato diz não encontrar o reitor João Grandino Rodas para negociar; reitoria reafirma estar aberta ao diálogo

Luciana Alvarez e Carolina Stanisci, O Estado de S. Paulo

10 Junho 2010 | 16h30

Com a reitoria da Universidade de São Paulo (USP) ocupada por funcionários em greve e o reitor João Grandino Rodas despachando de endereço desconhecido, o sindicato dos trabalhadores e a administração da instituição passaram ontem a usar os órgãos de imprensa para dialogar.

 

A conversa começou na manhã desta quinta-feira, quando o comando de greve, alegando não ter como encontrar o reitor, divulgou aos meios de comunicação um documento destinado a Rodas. O texto pede o pagamento dos dias descontados dos funcionários em greve e a reabertura das negociações.

 

Os grevistas estiveram na Assembleia Legislativa para participar de audiência pública, na qual os reitores não compareceram.

 

No início da tarde, a reitoria respondeu, com cópia para o e-mail de vários jornalistas, reafirmando continuar aberta ao diálogo, tendo como base "proposta de acordo tornada pública eletronicamente no dia 2".

 

A proposta, publicada no site da reitoria, informa que os dias descontados seriam pagos no dia 10 caso os funcionários tivessem retornado ao trabalho no dia 7.

 

Segundo a reportagem apurou, a reitoria ainda não procurou os grevistas, mas afirma que todos sabem onde encontrar o chefe de gabinete da reitoria, Alberto Carlos Amadio, para buscar uma solução para o fim da ocupação.

 

Na noite desta quinta, os alunos também não entraram em consenso e o Diretório Central dos Estudantes abandonou a assembleia dos alunos.

 

Confira a íntegra das notas divulgadas à imprensa:

 

"Senhores Representantes do Sindicato dos Trabalhadores da USP,

Em resposta mensagem eletrônica de Vossas Senhorias recebida nesta data, reafirmamos que a Universidade mantém-se aberta ao diálogo e negociação, tendo como base os termos da proposta de acordo tornado público eletronicamente no dia 02 do corrente mês, por meio da Comissão que vinha negociando com esse sindicato.

São Paulo, 10 de junho de 2010

A Reitoria

Magnífico Reitor da USP

Prof. Dr. João Grandino Rodas"

 

-----

 

"Sem ter conhecimento do local onde encontrá-lo, o Comando de Greve dos Trabalhadores da USP, recorre aos veículos de comunicação e à internet, para reiterar publicamente a proposta de realizarmos uma nova reunião da Comissão de Representantes dos Trabalhadores em greve, com a reitoria da USP.

Nossos objetivos são:

01) Assegurar o pagamento imediato dos dias descontados dos salários de aproximadamente 1000 (um mil) trabalhadores (as), que se encontram em greve;

02) A imediata abertura de negociações entre o CRUESP e o Fórum das Seis, visando o restabelecimento da isonomia entre funcionários e professores da USP, UNESP e UNICAMP, conforme o acordo firmado entre o próprio CRUESP e o Fórum das Seis, em 1991 e a busca de acordos e torno dos demais itens da pauta unificada.

03) Estabelecer um protocolo para a negociação dos itens da pauta especifica.

E para que não restem duvidas a respeito de quem quer ou não negociar, este Comando de Greve propõe a realização dessa e das próximas reuniões em local aberto, para que a comunidade universitária, a imprensa e principalmente a população, possam ver e ouvir. Nada temos a ocultar de quem paga não só os nossos salários, mas também o salário, a aposentadoria, a verba de representação e as diárias do Magnífico Reitor.

Sendo só para o momento, aguardamos vosso retorno.

São Paulo, 10 de Junho de 2010

Ass. Comando de Greve dos Funcionários da USP."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.