Reitor diz que desconhecia 'magnitude' do Clube das Arcadas

João Grandino Rodas afirma que não sabia que clube gravaria nomes de doadores em parede e venderia títulos

Estadão.edu

24 Agosto 2011 | 15h35

O reitor da USP, João Grandino Rodas, divulgou nota sobre a repercussão causada por boletim divulgado pela reitoria, nesta semana. O comunicado questiona o Clube das Arcadas, empreendimento no Ibirapuera, zona sul, idealizado pelo Centro Acadêmico XI de Agosto, ao lado da Associação dos Antigos Alunos da faculdade e da Associação Atlética da unidade. O presidente da associação, José Carlos de Madia, se disse "estupefato" ao ler o texto, uma vez que Rodas, enquanto diretor da unidade, teria conhecido de perto o projeto.

 

Rodas afirma que, de fato, conheceu o projeto há alguns anos, mas não tinha ideia de sua"magnitude" - o complexo contará com piscinas, quadras, ginásio, centro comercial, teatro e estacionamento. O reitor também disse desconhecer a ideia de o clube vender títulos a particulares e gravar nomes de doadores em uma lateral de um prédio.

 

 

Leia na íntegra a nota divulgada pelo reitor:

 

 

Há cerca de quatro anos, enquanto diretor da Faculdade de Direito, tomei conhecimento do estágio inicial do empreendimento do Centro Acadêmico XI de Agosto, no Ibirapuera. Na ocasião, não foram apresentados os aspectos recém-divulgados e constantes na matéria deste jornal, datada do dia 11 de agosto, como a magnitude do projeto, compreendendo shopping e clube privado, com venda de títulos a particulares, a gravação em empena do prédio em letras garrafais dos nomes dos doadores, entre outras características. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.