Reitor da USP diz que trotes são "tradições ultrapassadas"

Em vídeo, Zago condenou festas com consumo exagerado de álcool; denúncias de abuso, diz ele, obrigam universidade a repensar políticas

O Estado de S. Paulo

04 Março 2015 | 16h43

SÃO PAULO - O reitor da Universidade de São Paulo (USP), Marco Antonio Zago, classificou os trotes como uma "tradição ultrapassada" em vídeo de boas vindas aos calouros divulgado nesta quarta-feira, 4. Ele ainda disse que essas práticas, e todos os desrespeitos à identidade de gênero ou diversidade, "não fazem parte da vida de uma universidade moderna".

Zago defendeu as atividades esportivas e culturais para a integração de alunos. "Festas com consumo de grande quantidade de álcool e outros estimulantes não fazem parte da vida acadêmica", apontou o reitor.

Ainda segundo o reitor, as denúncias de abuso, que vieram à tona em 2014 na Faculdade de Medicina, obrigam a USP a "repensar políticas e práticas educativas, e a promover um trabalho de reconstrução que deve ser feito em conjunto pelas diferentes instâncias da universidade".

"Quero manifestar meu profundo pesar pela ocorrência de atos dessa natureza na nossa universidade", acrescentou Zago. No vídeo, o reitor ainda destacou outras metas da USP para 2015, como a reforma administrativa e o foco na comunicação em língua estrangeira.

 

Mais conteúdo sobre:
trote marco antonio zago usp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.