SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

Reitor da USP abre processo contra Rodas

Por lesar cofres públicos com aumentos, ele pode perder aposentadoria; antecessor diz que Zago devia saber das decisões

O Estado de S. Paulo

16 Outubro 2015 | 20h42

O reitor da Universidade de São Paulo (USP), Marco Antonio Zago, abriu processo interno contra seu antecessor, João Grandino Rodas, sob a alegação de “lesão aos cofres públicos”. O processo fala em cassar a aposentadoria do ex-reitor.

Revelado pelo jornal Folha de S.Paulo, o processo foi iniciado após sindicância interna indicar que Rodas tomou decisões individuais a respeito dos pagamentos de servidores técnico-administrativos, que teriam resultado no desequilíbrio das contas da USP.

O ex-reitor ingressou com representação na Comissão de Ética do Estado, questionando a legalidade do processo. Ele ressalta que o Estatuto e o Regimento da USP não determinam que todas as decisões devam passar pelo Conselho Universitário. Diz que a cassação de aposentadoria é matéria de conteúdo “estritamente previdenciário”. Rodas questiona ainda o fato de ser o único a ser processado, argumentando que o próprio Zago, pró-reitor de Pesquisa em sua gestão, tinha dever de conhecer as decisões. Em janeiro de 23013, um ano antes de Zago assumir a reitoria, o Estado publicou reportagem mostrando que os gastos com pessoal já passavam de 90% da receita.

“Os demais dirigentes eleitos da Universidade (vice-reitor e pró-reitores da Administração 2010/2013), não foram meros figurantes na citada administração, devendo ser ouvidos e avaliados, por essa Comissão, responsáveis solidários que são, se não por ação, ao menos por omissão”, diz Rodas. A reitoria não comentou o recurso.

Mais conteúdo sobre:
João Grandino RodasUSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.