Reforma da universidade será feita ponto a ponto, diz MEC

O Ministério da Educação (MEC) planeja realizar a reforma universitária a conta-gotas, promovendo mudanças ou enviando propostas ao Congresso à medida que avançar a discussão sobre cada tema. É o que disse nesta sexta-feira o secretário-executivo do ministério, Fernando Haddad, após a primeira reunião do grupo executivo encarregado de definir o cronograma de debates.Segundo ele, o governo descarta a idéia de lançar um pacote único ao final da discussão nacional que começará segunda-feira, em Curitiba, num evento promovido pela Associação Nacional de Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).Portaria com as regras de funcionamento do grupo deverá ser publicada quarta-feira no Diário Oficial. O grupo executivo do MEC montará um calendário de discussões não apenas no meio acadêmico, mas com a sociedade.A cada três semanasA equipe do MEC vai se reunir a cada três semanas, sob a coordenação de Haddad e do próprio ministro Tarso Genro. Além deles, participam oito assessores de Tarso e uma representante de fora do governo, a presidente da Andifes, Wrana Panizzi, que é reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.Em Curitiba, a entidade debaterá a expansão e democratização do acesso ao ensino público. Até abril, mais quatro seminários serão realizados, um em cada região.O próximo, nos dias 8 e 9 de março, ocorrerá em São Carlos (SP) com o tema Ciência, Tecnologia e Inovação. Depois haverá eventos no Pará, Paraíba e Goiás. Ao final, em abril, a entidade apresentará uma proposta de reforma ao MEC, a exemplo do que pretende a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2004 | 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.