MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO
MÁRCIO FERNANDES/ESTADÃO

Redução de 1 hora em escolas integrais é 'normal', diz Alckmin

Governador argumentou que o padrão nessas unidades em todo o mundo é de 8 horas; pais não foram avisados da mudança

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2016 | 12h04

SÃO PAULO - O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que a redução em uma hora das aulas em  118  das 532 escolas de tempo integral do Estado "é normal". "Escola de tempo integral são oito horas no mundo inteiro. Quatro horas em um período, quatro no outro período", disse, na manhã desta quarta-feira, 17, durante visita técnica às escavações de túnel do Rodoanel Norte, na zona norte de São Paulo. 

Muitos pais foram surpreendidos no primeiro dia de aula ao descobrirem que os filhos ficariam apenas oito horas na escola - e não mais nove horas, como nos anos anteriores. Ao Estado, a coordenadora do Programa Escola de Tempo Integral, Vera Goloni, afirmou que a redução estava prevista desde o ano passado e que a diminuição de tempo visa padronizar o currículo em relação às demais 414 escolas com período integral, que já tinham carga horária de oito horas diárias. 

A mudança, no entanto, não foi avisada aos pais e alunos. Vera admitiu que houve um “erro de comunicação”, já que alguns pais não foram avisados antes das mudanças. “Foi um equívoco, tanto do órgão central (a secretaria estadual), como das diretorias de ensino e escolas, que deveriam tomar providências e informar todos os pais porque as crianças exigem cuidado e zelo.” 

Segundo ela, em quatro escolas da capital em que os pais não souberam da mudança antes das aulas será feito um período de adaptação com o acolhimento das crianças por nove horas, como ocorria anteriormente, para que os pais possam organizar suas rotinas. Vera disse também que essas escolas abrirão consulta para que os pais opinem sobre o melhor horário de aula. No entanto, ela não informou por quanto tempo será o período de adaptação e quando deve ser feita a consulta aos pais. 

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULOPSDBRodoanel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.