Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Rede estadual de SP vai ter preparação para o Enem em parceria com startup de educação

Ferramenta desenvolvida pela Geekie oferece plano individualizado de estudos e 600 aulas; inscrições para exame abrem nesta 2ª

O Estado de S. Paulo

25 Maio 2015 | 05h00

SÃO PAULO - Os 415 mil alunos do 3.º ano do ensino médio da rede estadual de São Paulo poderão acessar a partir de segunda-feira, 25, uma plataforma online com conteúdo de preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cujas inscrições abrem nesta segunda-feira, 25. A ferramenta, que oferece um plano individualizado de estudos, foi desenvolvida pela Geekie, startup de tecnologia aplicada à educação.

Segundo a secretaria estadual de Educação, a plataforma reúne mais de 600 aulas de todas as disciplinas e áreas do conhecimento obrigatórias para o Enem, que serve de vestibular para as universidades federais de todo o País. O portal desenvolvido pela Geekie, e disponibilizado ao Estado sem custos, desenvolve um plano individual e indica exatamente os conteúdos necessários para estudo, a partir das informações preenchidas pelos alunos no cadastro. Com base nesse roteiro os alunos têm acesso aos exercícios. Além disso, as etapas são monitoradas e um diagnóstico é produzido mostrando o desempenho do estudante.

A ferramenta poderá ser acessada de qualquer computador, de casa ou da escola, inclusive pelo celular. O projeto-piloto começou a ser implementado na rede em 46 escolas. Segundo informações da secretaria, uma quarto dos estudantes fizeram uso da plataforma após as 17h - ou seja, fora do período de aula, o que amplia o tempo de estudo dos alunos.

As inscrições para o Enem ficam ficam abertas de hoje até o dia 5 de junho. As provas serão aplicadas nos dias 24 e 25 de outubro. Alunos vindos de escola pública não pagam a taxa de inscrição, que neste ano subiu para R$ 63, conforme revelou o portal Estadão.com.br no dia 13 de maio. O Ministério da Educação (MEC) espera mais de 9 milhões de inscritos no exame deste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.