Rede estadual de cursos técnicos chega a mais 31 cidades

Expansão se dará pelo sistema de classes descentralizadas, feito em parcerias com empresas e prefeituras

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

08 Janeiro 2014 | 14h48

A rede de cursos técnicos do Estado de São Paulo chegará a 31 novos municípios em 2014. A expansão será pelo sistema de classes descentralizadas, aulas oferecidas em parcerias com empresas e prefeituras sob supervisão do Centro Paula Souza, autarquia estadual que administra as escolas técnicas (Etecs) e as faculdades de tecnologia (Fatecs). O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) nesta quarta-feira, 8.

São previstas mais 1.360 vagas até o fim deste ano - 1.240 no primeiro semestre e outras 120 no segundo.Os cursos oferecidos são Agronegócio, Administração, Informática para Internet, Marketing, Segurança no Trabalho, Manutenção e Suporte em Informática, Mecânica, Logística, Informática, Comércio e Contabilidade, de acordo com a demanda de mercado em cada região. Como já foi concluído o processo seletivo, o início das aulas é previsto para 20 de janeiro.

"As classes descentralizadas são o embrião de novas Etecs na cidade", afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico Rodrigo Garcia durante evento de lançamento das novas turmas nesta quarta-feira, 8, no Palácio dos Bandeirantes. No total, já existem 1.091 turmas com classes descentralizadas no Estado sob supervisão do Centro Paula Souza, ligado à pasta de Desenvolvimento Econômico.

As 31 cidades paulistas com classes descentralizadas são Águas da Prata, Anhembi, Bálsamo, Biritiba Mirim, Bofete, Canitar, Castilho, Embu-Guaçu, Estrela do Norte, Gavião Peixoto, Guaracaí, Itajobi, Itapuí, Itariri, Itirapina, Jaborandi, Jambeiro, Lucélia, Manduri, Pedro de Toledo, Pilar do Sul, Pontal, Pradópolis, Praia Grande, Quintana, Riversul, São José do Barreiro, Sete Barras, Severinia, Silveiras, Tremembé. A rede estadual de cursos técnicos está presente em 306 dos 645 municípios paulistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.