Rede de alta velocidade unirá 700 centros de pesquisa

Pelo menos 700 universidades e centros de pesquisa do Brasil, Argentina, Chile, México, Venezuela e Panamá começam a ser interligados por uma rede de alta velocidade (155 Mbps) pela internet, a partir de maio, quando representantes destes países inauguram a Cooperação Latino-Americana de Redes Avançadas (Rede Clara). O objetivo é permitir maior cooperação e a meta é chegar a 16 países latino-americanos ainda neste ano.A conexão de alta velocidade permitirá a realização de videoconferências e programas de educação a distância, além de troca de dados em pesquisas compartilhadas. Até abril de 2006, o projeto Clara será financiado pela Comissão Européia, por meio do programa América Latina Interconectada com a Europa (Alice), que destinou 12,5 milhões de euros para a criação da infra-estrutura do projeto.A Rede Clara ficará responsável, a partir de 2006, pela manutenção, desenvolvimento e aquisição de novos recursos para o projeto, segundo informou a Agência Fapesp. A conexão vai envolver também instituições de pesquisa européias, com as quais o Brasil mantém parcerias.

Agencia Estado,

02 de março de 2004 | 16h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.