Raio X da Alemanha no Ciência sem Fronteiras

País é o 5º destino dos estudantes que participam do programa

O Estado de S. Paulo

25 Janeiro 2015 | 03h00

 A Alemanha é o quinto país com maior número de bolsas destinadas a estudantes do Ciência sem Fronteiras e o terceiro na Europa. Desde o início do programa, já foram implementadas 5.761 bolsas do programa federal no país.

O perfil de quem já viajou para a Alemanha é bastante específico. A maioria dos estudantes que faz intercâmbio na terra da cerveja é de engenharia e das demais áreas tecnológicas. Em segundo lugar, vem os estudantes de biologia, ciências biomédicas e saúde.

Além disso, 63% dos intercambistas brasileiros no país são homens - 3.661 contra 2,1 mil mulheres.

A maioria dos alunos vem de São Paulo e Minas Gerais. Paraná, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul também exportam estudantes, mas em menor número.

Mais conteúdo sobre:
Ciência sem Fronteiras Alemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.