Valter Campanato/Agência Brasil
Valter Campanato/Agência Brasil

Rádio Estadão promove debate sobre reformas no ensino médio

Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, e Priscila Cruz, diretora executiva do Movimento Todos Pela Educação, discutirão maior alteração na LDB em 20 anos

O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2016 | 16h04

A Rádio Estadão realizará nesta segunda-feira, 26, às 14h, um debate para discutir as reformas no ensino médio anunciadas pelo governo Michel Temer (PSDB) na última semana. 

As alterações, consideradas a maior mudança na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) em 20 anos, tornam apenas três disciplinas obrigatórias em todo o ensino médio - Português, Matemática e Inglês. Todas as outras poderão ser escolhidas pelos estudantes, que deverão optar por percursos formativos diferentes, como Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino Técnico. O novo formato deve passar a valer somente em 2018.

Para discutir a reforma educacional, serão trazidos  dois especialistas na área: Daniel Cara, coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, e Priscila Cruz, diretora-executiva do Movimento Todos Pela Educação. Leia uma análise sobre a  reforma produzida pelo professor Paulo Carrano, da Universidade Federal Fluminense. 

Mudanças. A depender da escolha do “itinerário” pelo aluno, as disciplinas de Inglês, Português e Matemática terão mais ou menos profundidade na abordagem. Se o estudante escolher seguir a área de Linguagens, por exemplo, aprenderá mais sobre orações subjuntivas do que sobre trigonometria (na Matemática). Marcada para novembro, a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano não sofrerá mudança. Especialistas já preveem mudanças nos vestibulares após a consolidação da reforma.

Leia algumas reportagens que já foram publicadas pelo Estado sobre o tema: 

‘Era necessária uma consulta prévia da reforma do ensino’, diz especialista

Reforma no ensino médio também deve mudar vestibulares

Novo ensino médio enfrenta resistências; matérias obrigatórias ampliam polêmica

Na rede particular, alunos temem curso 'frouxo' com reforma 

Alunos de escolas públicas já  falam em protesto e ocupação de escolas

‘Vamos usar recursos de escolas privadas’, diz Nalini sobre novo ensino médio

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.