Radar do MBA

Confira novidades no mercado da educação executiva lançadas por algumas das principais escolas do País

Carlos Lordelo,

27 Novembro 2012 | 01h12

Se inovar é um desafio constante das empresas, não poderia ser diferente para as escolas de negócios que formam os líderes das organizações. O Insper, por exemplo, percebeu a demanda crescente pelas disciplinas optativas de empreendedorismo no MBA e reformou a grade para tornar a matéria obrigatória. A Dom Cabral aproveitou a vizinhança das belas Ouro Preto e Brumadinho, onde fica o Instituto Inhotim, para levar aos alunos novas ideias sobre gestão e sustentabilidade.

Dom Cabral vai a Ouro Preto e Inhotim

Para formar líderes em gestão, a Fundação Dom Cabral, de Minas, decidiu tirar os alunos do MBA Executivo da sala de aula, em Nova Lima. Ao longo do curso, as turmas visitam Ouro Preto e o Instituto Inhotim, em Brumadinho. Lá ocorrem aulas de Humanidades e Gestão Contemporânea e de Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa, respectivamente. “Queremos promover reflexões ideais de serem feitas nesses lugares”, diz a gerente coordenadora dos programas de MBA, Paula Simões. Em Ouro Preto, os alunos resgatam a história da Inconfidência Mineira para debater como introduzir ideais de autonomia e liberdade em suas empresas. E em Inhotim, com suas belas paisagens e obras de arte contemporânea, o objetivo é conferir in loco como o pensamento sustentável pode ser transformado em negócio.

 

 

Coaching online na FGV

Não é raro encontrar recém-formados indecisos sobre o futuro profissional. Foi por isso que a FGV resolveu apostar em novas ferramentas para o aconselhamento da carreira dos alunos do Master in Business and Management. O curso é uma espécie de MBA para quem pegou o diploma universitário há menos de três anos.

Além do coaching presencial, os estudantes têm apoio do iBrand, site que permite montar um plano de carreira. “Funciona como um mapa no qual o aluno insere os pontos centrais de sua vida pessoal e profissional e consegue monitorar seu desenvolvimento”, diz o professor João Baptista Brandão, criador do método.

O aluno deve responder a uma série de perguntas para exercitar o autoconhecimento e organizar as ideias. “Assim, consegue traçar um plano adequado a seus talentos, interesses e valores.” No final, recebe um parecer dizendo se o projeto de carreira dele é consistente.

A economista Hanna Ferreri, de 24 anos (foto), chegou ao MBM confusa. Com ajuda do coaching, decidiu passar oito meses fora do mercado de seguros, no qual trabalhava desde a graduação. “Vi que não queria abrir mão da carreira. A experiência me fez perceber o que gosto de fazer.” Hoje ela trabalha em outra seguradora, onde tem mais chances de ascensão.

Insper ajuda quem quer empreender

Desde julho a disciplina Empreendedorismo consta da grade obrigatória do MBA Executivo do Insper. A mudança no currículo partiu da observação do mercado e do público-alvo do curso. “Hoje boa parte dos executivos tem como plano B montar o próprio negócio. Com o crescimento do País e a estabilidade da economia, ficou mais fácil empreender”, diz o coordenador dos programas de MBA da escola, Silvio Laban. Para ele, o maior desafio será tornar o assunto relevante para cada aluno - as turmas têm cerca de 55 pessoas. “Lidamos com diferentes expectativas. Há quem queira abrir empresas e quem precisa desenvolver mais atitude de dono em sua vida profissional.”

MBA da USP lida com mar de dados

Deixamos cada vez mais pistas sobre nosso comportamento e preferências na internet. Mas como transformar tantos dados em informação útil para a tomada de decisões? Este é o desafio que gestores de empresas de varejo, por exemplo, enfrentam no dia a dia. Quem quer aprender a lidar melhor com o mar de dados disponível pode se matricular no MBA em Gestão da Inteligência Competitiva, recém-lançado pela Fundação Vanzolini – entidade ligada à Escola Politécnica da USP. “Não basta ter computadores mais potentes. É preciso saber extrair informações para obter vantagens competitivas”, diz o professor Renato de Oliveira Moraes. As inscrições podem ser feitas até janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.