Quatro foram presos durante realização do Enem 2014, diz PF

Segundo balanço da PF, casos ocorreram em Minas Gerais, Ceará e Tocantins; nos dois dias de prova, 1519 pessoas foram eliminadas

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

13 Novembro 2014 | 16h37


SÃO PAULO - Quatro pessoas foram detidas durante a realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2014 no último fim de semana, segundo o balanço atualizado da Polícia Federal. Os casos ocorreram nos Estados de Ceará, Minas Gerais e Tocantins.

Em Juazeiro do Norte, a 560 quilômetros de Fortaleza, duas pessoas foram detidas. Um dos presos usava o celular para recebimento de gabaritos, enquanto o outro envolvido na fraude ficava do lado de fora, passando informações ao candidato na sala. A dupla foi autuada pelo crime previsto no artigo 311-A, do Código Penal, que trata das fraudes em certame de interesse público. Os dois foram liberados após o pagamento de fiança, informou a PF local.

Outro homem foi preso em Sabará, região metropolitana de Belo Horizonte, e autuado pelo mesmo crime. A PF mineira informou apenas que ele foi detido no domingo, 9, por policiais militares e depois encaminhado à Polícia Federal. Ele pagou R$ 724 de fiança e foi libertado.

Também houve prisão de um jovem de 21 anos em Palmas. Durante a realização da prova, na Escola Estadual Maria dos Reis Alves Barros, ele tirou foto da prova com o celular e enviou a imagem pelo Whatsapp. A intenção do rapaz, segundo a PF de Tocantins, era ter o gabarito das questões.

Todos os presos foram eliminados do Enem 2014. Neste ano, o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável pela prova, aumentou o rigor na fiscalização, com cerca de 17 mil detectores de metais. No total, 1519 candidatos foram eliminados - 236 por uso indevido de celular durante o exame. 

Mais conteúdo sobre:
enem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.