Quatro escolas do interior paulista são ocupadas contra reforma

No início da tarde, estudantes ocuparam a Escola Estadual Professor Álvaro Cotomacci, em Campinas. De acordo com a direção da escola, uma tentativa de diálogo foi rejeitada pelos ocupantes

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2016 | 00h04

SOROCABA – Mais duas escolas estaduais foram ocupadas nesta terça-feira, 1, elevando para quatro o número de unidades escolas tomadas pelos alunos em protesto contra a reforma do ensino médio, no interior de São Paulo. No início da tarde, estudantes ocuparam a Escola Estadual Professor Álvaro Cotomacci, em Campinas. De acordo com a direção da escola, uma tentativa de diálogo foi rejeitada pelos ocupantes. Eles deram um prazo para a saída dos funcionários e fecharam o portão. A ação é um protesto contra o projeto de reforma do ensino médio do governo federal. 

Ainda em Campinas, estudantes da região do Campo Grande fizeram uma passeata, de manhã, contra as reformas do governo Temer. A Polícia Militar acompanhou o protesto, mas não divulgou números – de acordo com os estudantes, havia 150 pessoas na manifestação. Na semana passada, os estudantes já haviam invadido outras três escolas no município, mas as unidades foram desocupadas à força pela Polícia Militar. Os estudantes foram detidos e levados de ônibus para delegacias da Polícia Civil. 

Em Bauru, na manhã desta terça, estudantes ocuparam a Escola Estadual Guia Lopes, na Vila Dutra. Na tarde de segunda-feira, 31, eles já haviam tomado a Escola Estadual Luiz Castanho de Almeida, onde permanecem. O grupo é contra a reforma do ensino médio e a PEC dos gastos públicos, segundo nota divulgada em redes sociais. 

As diretoria regionais de Ensino em Campinas e Bauru informaram que os dirigentes das escolas registraram boletins de ocorrência e que os protestos dos alunos não têm relação com o governo estadual.

Em Avaré, também no interior, completou uma semana nesta terça a ocupação do prédio do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) pelos estudantes. Uma assembleia realizada na noite de segunda-feira decidiu pela manutenção do protesto contra as medidas do governo federal. Uma nova assembleia está marcada para quinta-feira, 3. A escola não está na relação de prédios que terão provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.