Quando o curso é feito em parte no exterior

Chamada de sanduíche, modalidade permite intercâmbio com universidades estrangeiras parceiras das brasileiras

Lygia Ribeiro, Especial para O Estado

26 de fevereiro de 2019 | 03h00

Com um mercado de trabalho cada vez mais exigente, tanto a busca de pessoas por pós-graduação e MBA quanto a de empresas por profissionais qualificados vêm crescendo no Brasil e no mundo. O MBA é o melhor caminho para quem quer dar um “upgrade” na carreira, expandir as capacidades profissionais e ainda conhecer outras culturas e países. 

Pensando nisso, muitas instituições de ensino estão investindo na internacionalização dos cursos de especialização, por meio de convênios com instituições do exterior, nas quais os estudantes que iniciam o curso no Brasil podem passar semanas ou meses, no chamado MBA sanduíche.

Uma das instituições com esse tipo de formação é a Fundação Armando Alvares Penteado (Faap). No curso de MBA Gestão Estratégica de Negócios, os alunos têm a oportunidade de passar 40 dias em uma das três escolas parceiras da instituição brasileira, localizadas em Xangai, Budapeste e Paris. Segundo o coordenador do curso, Amnon Armori, o objetivo é fazer com que os alunos, sendo a maior parte jovens executivos entre 25 e 30 anos, “olhem para o futuro, entendam o que está acontecendo no mundo e como as empresas estão se preparando no mercado”. 

Para viajar é preciso desembolsar o valor da passagem e da estadia, sem precisar pagar valor adicional pelo curso. Além disso, os alunos podem escolher o país de destino, a instituição e as disciplinas. “Na viagem, é oferecido a eles uma espécie de menu, no qual têm disciplinas prospectivas, de previsão e análise de vendas, um olhar para dentro do universo da empresa, e paralelamente o que ocorre fora dela”, explica Armori. 

Gerente administrativa financeira de uma distribuidora de cosméticos, Karen de Oliveira Valério decidiu fazer o curso na Holanda, na primeira turma. Lá, ela teve a oportunidade de visitar a fábrica da cervejaria Heineken, o porto de Roterdã (o maior da Europa) e a sede do parlamento europeu, em Bruxelas. “Além de me enriquecer de conhecimento e cultura, também firmei mais ainda as informações aprendidas durante o MBA. Para mim, essa foi a melhor junção possível, do MBA mais o intercâmbio.” 

Outra opção, que oferece um leque maior de destinos, é o OneMBA da Fundação Getulio Vargas (FGV). Criado em 2002, o curso faz parte de um consórcio composto por cinco escolas de negócios, reconhecidas mundialmente, localizadas em cinco países: Brasil, México, China, Estados Unidos e Holanda. 

Com duração de 21 meses e aulas ministradas em inglês, o curso permite viajar para todos os países a cada seis ou sete meses, nas chamadas residências globais. Nelas, equipes formadas por alunos de várias nacionalidades se encontram e realizam visitas a empresas, encontros com gestores e líderes e fazem atividades de imersão social, conhecendo os polos econômicos mais importantes das cidades.

Visão ampla. Para o coordenador do OneMBA, Jorge Carneiro, todas as empresas hoje olham para profissionais abertos a novas experiências, que buscam uma formação completa. “Queremos líderes responsáveis, inovadores e globais. Para isso, não bastam as habilidades técnicas, não basta conhecer bem de marketing, finanças, operações, estratégias e recursos humanos. Um líder também deve ter habilidades sociais, de comunicação, de empatia, entender os interesses dos demais e ter capacidade de tomar decisões.” 

Conselheiro do Grupo Fleury e ex-aluno do OneMBA, Fernando Lopes Alberto lembra que alguns aspectos tornaram os estudos ainda mais interessantes, como aprender com a diversidade de culturas e idiomas e entender a forma como cada país lida com os ambientes de negócio. “É um desafio. Ter de compatibilizar a maneira de ver o mundo com pessoas tão diferentes, trabalhar e montar projetos a nível de consultoria com elas. Mas tudo é muito dinâmico e muito legal. Você vai ganhando confiança ao longo do tempo”, conta.

Para os profissionais que estão de olho nas exigências e mudanças do mercado, a opção por uma especialização sanduíche exige investimentos e é cheia de desafios, mas pode potencializar a carreira e oferecer verdadeiras posições de destaque, tanto para empreendedores quanto para executivos de empresas nacionais e multinacionais. 

SERVIÇO

Faap

Curso: Gestão Estratégica de Negócios

Inscrições: Até 22/3

Início das aulas: Abril

Duração: Carga horária de 480 horas/aula

Custo: R$ 37,8 mil 

Site: mba.faap.br

FGV

Curso: OneMBA

Inscrições: Até 31/7

Início das aulas: Setembro

Duração: Um ano e nove meses

Custo: R$ 194,8 mil 

Site: eaesp.fgv.br

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.