Quadrilha fraudava provas há dez anos no MA, diz acusado

A quadrilha que fraudou a segunda etapa do vestibular da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) vinha aplicando o mesmo golpe há pelo menos 10 anos. A informação foi dada pelo sargento da Polícia Militar Gilvan Leão, que fazia parte do esquema e foi interrogado pela Polícia Federal na semana passada.Ele é um dos 12 acusados presos no último dia 9, durante a aplicação das provas do vestibular e era responsável por receber as respostas e entregar aos "clientes" do grupo. O policial militar, que era responsável pela segurança de um dos prédios onde a prova foi aplicada, disse ainda que aceitou fazer parte do esquema para ter recursos para reformar a sua casa. Segundo o delegado Rodrigo Koehler, que está participando das investigações, o grupo pode ter aplicado o mesmo golpe em outros concursos públicos no Maranhão. "Tudo indica que essa é a mesma quadrilha que fraudou o Concurso da Procuradoria Geral da União, em 2004", comentou o policial. Sete dos 12 acusados presos no dia do vestibular já foram postos em liberdade e outros três - Geraldo de Abreu Gomes, David Santos Matos e José Maria dos Santos, este último apontado como o cabeça do esquema - continuam foragidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.