PUC-SP sofre intervenção

A Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) sofrerá intervenção mesmo após as sucessivas demissões e cortes na folha de pagamento. A instituição deve reduzir o déficit mensal de mais de R$ 4 milhões, porém mesmo com os esforços feitos até agora, conseguiu uma redução de cerca de R$ 3,1 milhões.Já foram demitidos 268 professores - até a última sexta-feira - e o número pode aumentar até o dia 19, quando se encerra um programa de demissão voluntária. A reitora Maura Véras informou em comunicado aos professores que a Fundação São Paulo, mantenedora da PUC-SP, se responsabiliza, a partir de agora, por fazer os cortes e reajustes finais necessários para atingir a meta. A reitora continuará no cargo.A dívida total da instituição é de R$ 82 milhões.A universidade adiou o início das aulas de 13 de fevereiro para 2 de março devido à crise financeira. Porém, esclareceu que este adiamento não comprometerá as atividades acadêmicas previstas para o ano letivo de 2006.

Agencia Estado,

14 de fevereiro de 2006 | 17h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.