PUC-RJ diz que não tem vagas para MEC estatizar

A Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-RJ) deve ficar fora do projeto do Ministério da Educação, que pretende estatizar 100 mil vagas de universidades particulares este ano. A PUC-RJ alega que já oferece as vagas ociosas para alunos carentes que recebem bolsa integral.De acordo com o reitor, padre Jesus Hortal Sánchez, apenas 1% das vagas não foi preenchido no último vestibular e pelo menos 600 dos 12 mil alunos matriculados recebem bolsas integrais, resultado de parcerias com organizações não-governamentais como a Educafro.O total de bolsistas é de 1.200, mas o número inclui filhos de professores, de funcionários e alunos que, ao longo do curso, alegam não ter como pagar a mensalidade ? neste caso, a bolsa não é integral.Auto-estima e universidadeMoisés Richard da Silva, de 23 anos, que sempre estudou em escolas públicas, está no 6.º período do curso de Desenho Industrial e tem bolsa integral. Sua família mora na Cidade de Deus, favela da zona oeste que inspirou o livro de Paulo Lins e o filme de Fernando Meirelles.Um irmão dele que se envolveu com traficantes desapareceu em 1995, aos 24 anos. Silva conta que sempre teve habilidade para desenhar e esculpir, mas ?não tinha perspectiva de fazer faculdade?.Participou de um curso pré-vestibular organizado na comunidade pela Educafro, em que adquiriu auto-estima. Decidiu, então, se inscrever no vestibular e hoje é um dos melhores da turma, com nota 8,5 na média das disciplinas.?Eu podia ser mais um talento perdido por aí. É quase um sonho, penso nisso todos os dias quando vou dormir. É como se a ficha ainda não tivesse caído.?

Agencia Estado,

22 de fevereiro de 2004 | 17h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.