Provas do Saresp apresentam problemas em cartões-resposta

Governo diz que alunos não foram prejudicados; maior avaliação do ensino em SP termina nesta quinta-feira

Estadão.edu

18 Novembro 2010 | 15h02

Provas aplicadas ontem pelo governo de São Paulo para avaliar o ensino fundamental e médio nas escolas públicas e particulares do Estado apresentaram problemas no cartão de respostas. Em alguns casos, a numeração do caderno de questões não correspondia à de seu respectivo gabarito. A secretaria da Educação diz que o erro não prejudicou os alunos, pois os aplicadores conseguiram imprimir um novo cartão de respostas antes do início dos exames. A falha foi noticiada com exclusividade pelo blog da coluna Direto da Fonte, da jornalista Sonia Racy.

 

Pelo menos duas delegacias de ensino seguiram a orientação do governo de imprimir novos cartões de resposta no site do Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp). O espaço para o número de inscrição do aluno veio em branco e teve de ser preenchido manualmente. A Fundação Vunesp, responsável pela logística e aplicação da prova, não quis se manifestar.

 

Segundo o secretário estadual da Educação, Paulo Renato Souza, uma possível falha na inserção dos gabaritos de cada um dos 26 tipos de provas do Saresp "já estava prevista", assim como "o antídoto" para o problema - a impressão de novos cartões de resposta, conforme orientava o manual do exame.

 

“Como a manipulação e a inserção do gabarito, em cada tipo de prova, é feita manualmente, era previsto que ocorresse alguma falha e, para tanto, já havia uma solução prevista”, disse Paulo Renato. "Caso detectasse uma falha, o coordenador deveria entrar no site, imprimir o gabarito correto, substituir a folha errada e corrigir o problema. Isso ocorreu, e nenhum aluno foi prejudicado por causa desse problema."

 

Saresp

 

Maior avaliação do ensino fundamental e médio do Estado de São Paulo, o Saresp começou ontem e termina nesta quinta-feira, 18. Os resultados do exame são utilizados como indicadores de desempenho utilizados para cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp). Cada nível de ensino e escola recebe um índice, a partir dos quais se definem metas para o ano seguinte. Com esses indicadores, as prefeituras podem estabelecer programas de incentivo à melhoria da qualidade de suas escolas pautados nos resultados de desempenho dos alunos, como o programa de bônus por resultados, do governo estadual.

 

Ontem, a Vunesp aplicou as provas em 8.886 escolas, envolvendo aproximadamente 78.270 turmas. Todos os alunos – do 3º ao 9 º anos do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio – fizeram testes de língua portuguesa. Os do 5º ano do fundamental tiveram exame de redação, e os alunos dos 7º e 9º anos do fundamental e da 3ª série do médio também fizeram provas de matemática.

 

Nesta quinta-feira, alunos da 3ª série do ensino médio fazem redação e prova de Ciências da Natureza (biologia, física e química). Também será aplicada a prova de questões abertas de matemática destinada a uma amostra de alunos dos 5º, 7º, 9º anos do ensino fundamental e da 3ª série do médio.

 

Todas as 5.054 escolas estaduais que oferecem ensino regular nos anos/séries avaliados, além de 117 Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) administradas pelo Centro Paula Souza, 3.469 escolas municipais e 255 escolas particulares estão participando do exame.

 

Atualizada às 16h42 para acréscimo de informações

Mais conteúdo sobre:
Sarespavaliação educacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.