Provas da Unicamp agradam vestibulandos

As provas do primeiro dia da 2.ª fase do vestibular da Unicamp agradaram aos vestibulandos. Alguns consideraram as questões mais interessantes do que as da prova do ano passado e até mais fáceis. Ontem, 14.091 candidatos fizeram as provas de língua portuguesa e literatura brasileira e de ciências biológicas. Cada uma com 12 questões. Todas elas dissertativas."No ano passado achei a prova de biologia muita específica e chata", disse Michelle Estefania Isaza, de 19 anos, de Indaiatuba, candidata, pela segunda vez, a uma vaga no curso de Matemática. "Estava fácil. Não encontrei problemas", contou Erik Kenji Miyoshi, de 17 anos, que fez a prova em São Paulo. Maurício Moscovici, de 17, acrescentou: "Acho que algumas questões de biologia estavam difíceis, mas no geral foi fácil". Para Fábio Yoshio Sato, de 17, amigo dos dois adolescentes, "a prova da Fuvest estava mais complicada". As provas prosseguem até o dia 14. Esta segunda-feira é dia de química e história; terça-feira, de física e geografia; na quarta-feira, de matemática e língua estrangeira (inglês ou francês). Os candidatos disputam 2.934 vagas em 57 cursos de graduação da instituição. As provas estão sendo feitas em 19 cidades do Estado. A primeira lista de aprovados sai em 4 de fevereiro, a partir das 16 horas.AusênciasA Unicamp registrou neste domingo um índice de 6,21% de ausência, marca maior que a do ano passado, que foi de 5,61%. Os números são considerados normais segundo o coordenador-executivo do vestibular da Unicamp, Leandro Tessler. Segundo ele, a coordenação do vestibular estuda unificar no ano que vem a lista de livros pedidos com a Fuvest. "Percebemos que a nossa lista está um pouco pesada", disse Tessler. De acordo com o coordenador, a área de literatura do vestibular é feita para o vestibulando que "realmente leu o livro e não apenas resumos". Outra possibilidade avaliada pela Unicamp é que a inscrição passe a ser feita exclusivamente via internet. Questões abrangentesAs duas provas de domingo da Unicamp foram consideradas abrangentes e bem preparadas, segundo avaliação de professores. Mas ao contrário de alguns candidatos, eles apontaram que o grau de dificuldade das avaliações foi de médio para dofícil."A prova de ciências biológicas abrangeu quase todas as áreas da biologia, de genética a botânica. Das 12 questões, três tinham um formato mais tradicional, as outras nove eram muito criativas", disse o professor de biologia do Curso e Colégio Objetivo, Luiz Augusto de Barros.Segundo ele, os enunciados e as ilustrações estavam bastante claros. Dois dos enunciados reproduziam trechos de reportagens publicadas pela imprensa nos últimos meses. A prova de língua portuguesa priorizou questões ligadas à interpretação de textos e literatura. Apenas uma das 12 perguntas tratou mais diretamente de gramática. As outras, exigiam que os alunos fizessem interpretação de textos ou análises de obras literárias. Quatro obras foram citadas nas questões sobre literatura: Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues; Conto de Escola, de Machado de Assis; A Brasileira de Prazins, de Camilo Castelo Branco; e O Demônio Familiar, de José de Alencar. "Acho que obra de Camilo Castelo Branco escolhida tem uma dificuldade porque envolve um contexto histórico de Portugal que pode ser difícil para o vestibulando", disse o professor de português do Objetivo, Nelson Dutra. Para ele, a prova foi bem preparada e vai conseguir selecionar os alunos mais preparados.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2004 | 23h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.