Prova da Unesp exige mais dos candidatos

Acabou a moleza. Depois da prova simples do primeiro dia, os candidatos ao vestibular da Universidade Estadual Paulista (Unesp) encararam exames específicos e dissertativos nesta segunda-feira. "Foi trabalhoso e acabei deixando várias questões em branco", disse o vestibulando Renato Fernandes Rangel, de 17 anos, que concorre a uma vaga de Engenharia Mecânica.Segundo professores, as diversas disciplinas - mesmo das áreas de exatas e biológicas - exigiram boa leitura e interpretação de texto. Os candidatos tinham de realizar 25 questões de disciplinas diferentes, dependendo do curso que escolheram.Tania Regina Bottcher, que quer cursar Matemática, fez provas de Física, Química e Matemática. "Só consegui responder duas de cada matéria", diz a estudante que, aos 39 anos, fez supletivo e cursinho para tentar uma vaga na universidade. "Estou desconsolada. Só tiro nota dez e, na prova, não consegui responder."A abstenção aumentou nesta segunda-feira, no segundo dia de vestibular da Unesp. Deixaram de comparecer à prova 10,8% dos 90.531 inscritos. Na capital e Grande São Paulo, a ausência chegou a 16,5%. "A prova privilegiou o aluno bem preparado e levantou temas atuais como a dengue", disse o professor de biologia do curso Objetivo, Paulo Henrique de Barros.As questões de geografia também lembraram assuntos recentes como inflação e desemprego na Argentina e Protocolo de Kyoto. Na área de exatas, o professor de matemática do Objetivo, Gregório Krikorian, disse que foram exigidas capacidade de leitura e interpretação. "A distribuição das perguntas foi clássica, com metade da área de álgebra", afirmou. "Não foram cobradas fórmulas e sim raciocínio", completou a professora de química, Márcia Aparecida Lopes.Os candidatos da área de humanas também fizeram nesta segunda-feira provas de português, disciplina que será tema de todo o exame desta terça-feira. "Pode-se esperar uma prova com textos interligados e que selecione um aluno acostumado a uma leitura mais elaborada e densa", afirmou o professor do Objetivo Nelson Dutra."Espero recuperar amanhã (terça-feira) o que não consegui fazer hoje (segunda)", disse a candidata ao curso de Química Ligia Carla Muniz, de 17 anos. Ela não se sentiu bem durante a prova e teve de ir para a enfermaria. Fora o mal-estar causado pela poluição - a vestibulanda vem de uma pequena cidade na divisa com Paraná - ela achou o exame muito difícil.As provas desta terça, últimas do vestibular, serão nos mesmos horários. Os vestibulandos devem chegar às 13 horas ao local de exame, já que às 13h30 deverão entrar nas salas. O vestibular começa às 14 horas e terá dez questões dissertativas de literatura e gramática e uma redação. A lista de aprovados para as 5.695 vagas da Unesp sai no dia 7 de fevereiro.

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2002 | 20h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.