ProUni perde 30 mil bolsas com emenda, adverte Tarso

O ministro da Educação, Tarso Genro, calcula que pelo menos 30 mil bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) deixarão de ser dadas a estudantes carentes por causa das mudanças feitas pelo Congresso na medida provisória que cria o programa. Se for mantido o texto aprovado pela Câmara na quarta-feira, essa redução poderá chegar a 100 mil nos próximos três anos.Tarso atribuiu a uma pressão de representantes da Universidade Paulista (Unip) as mudanças feitaspelos deputados. ?Esta votação cedeu, na verdade a um movimento feito por uma instituição, a Unip, comandada por uma pessoa que tem interesse no setor e tem o direito de processar esse interesse, assim como nós temos o direito de resistir?, afirmou o ministro.O ProUni oferece às instituições particulares de ensino superior uma série de benefícios fiscais em troca de bolsas de estudo, parciais e integrais, para alunos que fizeram o Ensino Médio em escola pública. Com os critérios da MP original, o MEC previa oferecer 117 mil bolsas no primeiro semestre de 2005 e cerca de 300 mil até 2009.Com a mudança da MP, por meio de uma emenda do PFL, foi reduzida de 10% para 7% a parcela de vagas que as instituições devem disponibilizar para bolsas do programa.Tarso informou que vai articular o restabelecimento do texto original quando a medida provisória for votada no Senado, ou então vai negociar vetos com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na ocasião da sanção presidencial.

Agencia Estado,

02 de dezembro de 2004 | 15h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.