Ato de estudantes interdita a Avenida Paulista

Alunos seguiram para sede da Secretaria Estadual de Educação

Luiz Fernando Toledo Antunes, O Estado de S. Paulo

05 Dezembro 2015 | 15h58

Atualizado às 19h35.

Um grupo de estudantes realizou manifestação das 15h às 18h deste sábado, 5, em comemoração à revogação do projeto do governo Geraldo Alckmin (PSDB) da reorganização do ensino. O ato interditou totalmente o sentido Consolação da Avenida Paulista. A PM acompanhou o ato, que seguiu até a sede da Secretaria Estadual de Educação, na Praça da República, passando pela Rua da Consolação. Não foi divulgado o número de manifestantes.

Apesar do ato acontecer de forma pacífica, o fato de alguns manifestantes decidirem ficar parados no meio da rua para aumentar o congestionamento revolta alguns motoristas, que reagem buzinando e gritando. Uma mulher que não quis se identificar e que estava com o filho recém nascido no carro pediu para passar e discutiu com os manifestantes. Ela foi chamada por alguns de "piranha" e "coxinha". O grupo liberou a via temporariamente para que ela passasse com o carro.

Além de festa, eles usam o ato ainda para cobrar um calendário de audiências públicas para discutir o projeto no próximo ano. Querem ainda a certeza de que nenhum aluno ou professor será punido pelos protestos e ocupações. Neste sábado a Secretaria Estadual da Educação ainda fala em 196 unidades tomadas.

A reorganização da rede previa que as escolas fossem separadas para só um ciclo cada - anos iniciais do ensino fundamental, anos finais ou ensino médio. Também previa o fechamento de 93 escolas em todo o Estado. O projeto foi suspenso ontem por Alckmin após uma série de protestos, escolas ocupadas e a divulgação de uma pesquisa do Datafolha mostrando baixa popularidade do tucano. Neste sábado, o decreto da reorganização foi revogado no Diário Oficial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.