Protesto de estudantes da UnB termina novamente em confronto com a PM

Grupo fez ato na frente do Ministério da Educação; ao menos quatro pessoas foram detidas

Isadora Perón  , O Estado de S.Paulo

26 Abril 2018 | 16h21

BRASÍLIA - Um protesto de estudantes da Universidade de Brasília (UnB) em frente ao Ministério da Educação (MEC) terminou em confronto com a Polícia Militar nesta quinta-feira, 26. Pelo menos quatro pessoas foram detidas.

A cavalaria da PM foi acionada e foram usadas balas de borracha e bombas de gás para dispersar o grupo de cerca de 40 estudantes. Segundo o órgão, "os manifestantes fizeram uma linha e foram para cima dos policiais com escudos feitos de tapume, pedras e paus".

Esta é a segunda vez no mês que uma manifestação de alunos da UnB termina com detidos. No último dia 10, três foram detidos. A comunidade acadêmica tem protestado contra a crise financeira que a universidade enfrenta. A reitoria da universidade está ocupada.

+++ Governo federal reduz autonomia de universidades para gasto com obras

Em nota, associações de estudantes consideraram que houve uma "repressão desproporcional" ao ato. "Não nos deixaram nem ficar em frente ao MEC. Após menos de 5 minutos que estávamos lá, sem que os estudantes e trabalhadores fizessem nada, a cavalaria partiu pra cima dos manifestantes tacando bombas de gás e tiros de balas de borracha", diz o texto.

+++ 8 pontos para evitar um futuro trágico para Educação brasileira

Também em nota, o MEC afirmou que "respeita e considera legítimo o direito de manifestação em uma nação democrática como o Brasil", mas que "esse direito não pode ferir o direito de ir e vir das pessoas e nem causar prejuízos ao patrimônio público e à prestação de serviço à sociedade". O ministério também disse que tem "mantido diálogo aberto e direto com os estudantes e com toda a sociedade sobre a situação da UnB". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.