Projeto resgata história dos gregos no Brasil

Atualmente vivem no Brasil cerca de 40 mil gregos e seus descendentes. À primeira vista, pode parecer pouco, mas sem dúvida essa cultura deixou e deixa marcas na multifacetada vida brasileira. Poucos pesquisadores se debruçaram para estudar o fluxo imigratório grego e as suas colônias e ninguém melhor que uma grega para vasculhar e apresentar esse universo.Vassiliki Thomas Constantinidou chegou ao País com apenas 3 anos de idade. Meio brasileira, meio grega, sempre quis contar e resgatar a história de seus pais e de tantos outros imigrantes espalhados pelo Brasil."Essa idéia surgiu há dez anos, mas eu não tinha disponibilidade de tempo; agora que montei minha empresa (Ítaca Comunicação), retomei o projeto chamado Imigrantes Gregos no Brasil. Percebi que não havia nada sobre a imigração grega, nem teses, nem livros. Busco registrar a história oral, a memória das pessoas, sem grandes pretensões acadêmicas."Museu da PessoaPara colocar o projeto em ação, Vassiliki conta com o apoio e a metodologia utilizada pelo Museu da Pessoa. Ela entra em contato com imigrantes, realiza entrevistas sobre sua história de vida, suas recordações e sua opinião sobre fatos históricos. Tudo é levado em consideração.O projeto está na fase de levantamento de dados e de pessoas. Também será realizado o registro fotográfico dos entrevistados, documentos e objetos, além da digitalização das fotos e pesquisa histórica, iconográfica e musical.EntrevistasSerão feitas 30 entrevistas em vídeo e 60 em áudio, abrangendo 11 Estados. O resultado da pesquisa será a base para a publicação de um livro, uma exposição, um audiovisual e um site (www.gregosnobrasil.com.br), que já pode ser acessado.Para quem tiver interesse em conhecer mais sobre o projeto ou mesmo contribuir com depoimentos pode acessar o site ou entrar em contato com a Ítaca Comunicação pelo telefone 11-287-7969.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.