Programas priorizam pesquisa, produção de estudos e formação de professores

Os atuais programas de pós-graduação em Relações Internacionais têm perfil acadêmico forte, voltados à formação de professores e sobretudo à produção de estudos. Isso porque a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) quer, antes de tudo, garantir bons professores e bom material de pesquisa aos cursos de graduação. A habilitação de profissionais de outras áreas vem em segundo plano, a menos que a demanda do mercado force uma aceleração na abertura de especializações profissionalizantes."No momento, precisamos acima de tudo desenvolver a pesquisa nesta área", explica o coordenador do programa Unesp/Unicamp/PUC-SP, Tulo Vigevani. "Há uma demanda crescente por profissionais qualificados em relações internacionais, mas os estudos disponíveis são produzidos em outros países e não são adequados a nossas necessidades", concorda Izabel Lima Pessoa, atual coordenadora de Programas Especiais da Capes.Mais cursosSegundo o Instituto de Pesquisas Educacionais (Inep), do MEC, em 2000 havia 35 cursos de graduação em Relações Internacionais, com 4.898 vagas que foram disputadas por 9.524 candidatos. A tendência é de que estes números aumentem. No último vestibular da Unesp, em julho, este foi o curso mais concorrido, com 54,1 candidatos por vaga. Os programas de pós-graduação também devem se multiplicar: Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Universidade Federal Fluminense já preparam seus cursos, segundo a Capes.E os programas já existentes também devem ampliar suas turmas, como é o caso do Unesp/Unicamp/PUC-SP. Após a primeira e disputadíssima seleção, em março (83 candidatos para 15 vagas), o coordenador Vigevani calcula que em novembro seja possível abrir inscrições para mais mestrandos. O passo seguinte, diz ele, será criar o doutorado e, então, um programa de pós-graduação profissionalizante.PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAISUnesp/Unicamp/PUC-SP - Mestrado - desde 2003Universidade de Brasília - Doutorado ? desde 2002 - Mestrado ? desde 1984Instituto Rio Branco - Especialização ? desde 2002PUC-RIO - Doutorado ? desde 2001 - Mestrado ? desde 1987Universidade Federal do Rio Grande do Sul (em estudos)Universidade Federal Fluminense (em estudos)

Agencia Estado,

19 de setembro de 2003 | 18h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.