Programa do MEC quer 100 mil crianças de volta à escola

A partir do próximo semestre, mais 100 mil crianças que estão trabalhando em atividades perigosas, sob condições nocivas, devem voltar à escola. Essa é a meta do Ministério do Desenvolvimento Social para a ampliação do Programa de Erradicação do TrabalhoInfantil (Peti), ainda este ano.Cerca de 811 mil crianças são atendidas pelo programa, de acordo com levantamento de 2003. O Peti atua em 2.606 municípios, sendo mais da metade em área rural. As famílias que têm filhos entre sete e 15 anos, envolvidos em tarefas insalubres e penosas, recebem uma bolsa de R$ 40 (área urbana) e R$ 20 (área rural). Em contrapartida, a família se compromete a tirar as crianças do trabalho e matriculá-las na escola.Criado em 1996, o Peti foi apresentado, esta semana, no 1º Congresso Mundial sobre Trabalho Infantil, na Itália. O congresso é organizado pelo movimento internacional Global March Against Child Labour (Marcha Global Contra o Trabalho Infantil) e busca chamar a atenção dos governos do mundo inteiro para que invistam mais na educação como forma de tirar as crianças do trabalho infantil.No Brasil, o número de crianças e adolescentes trabalhando foi reduzido em quase 43%, entre 1995 e 2002. Mas, de acordo com a última Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio (PNAD), 2.988.294 de brasileiros na faixa etária de cinco a 15 anos estão trabalhando, o que representa 8,22% da população nessa faixa etária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.