Programa do governo vai dar Fies a estudantes e empresas

Alunos do ensino médio e empregados em busca de capacitação vão poder ter financiamento

Estadão.edu

28 Abril 2011 | 15h36

Foi anunciado pela presidente Dilma nesta quinta-feira o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec). O programa tem como objetivo aumentar o acesso de jovens do ensino médio e trabalhadores sem formação à educação técnica. Uma das medidas é a concessão de crédito, via Fundo de Financiamento ao Ensino Superior (Fies), para empresas. Elas vão poder conseguir o benefício para empregados em busca de habilitação.

 

O Fies técnico é parecido com o atual, para o ensino superior. As instituições de ensino interessadas solicitam adesão e, se consideradas aptas, têm acesso ao crédito. Os estudantes do ensino médio, para ter acesso ao financiamento, prestam o processo seletivo para os cursos técnicos e solicitam o benefício.

 

A carência será de 18 meses e 6 vezes o tempo do curso, mais 12 meses para o pagamento.

No caso do Fies para as empresas, elas devem se cadastrar, ser aprovadas por um banco e, então, fazer um processo seletivo interno. Os aprovados devem procurar cursos no Sistema S ou na rede privada cadastrada pela rede Pronatec.

 

Os cursos técnicos do Pronatec terão mínimo de 800 horas de duração. A formação inicial e continuada vai ter um mínimo de 160 horas.

 

Tipos de formação. Além do financiamento, uma das ações do Pronatec é a oferta de bolsas-formação - para estudantes e trabalhadores. No caso de alunos do ensino médio, o sistema permitiria que eles cursassem, ao mesmo tempo, o ensino médio regular e o técnico.

 

Para trabalhadores, a ideia é capacitar beneficiários do seguro-desemprego com formação inicial ou continuada, no sistema S e na rede pública de ensino.

 

Expansão. A presidente Dilma e o ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciaram a expansão de escolas técnicas em todo o País. Além das 81 unidades que estão em execução e devem ser inauguradas neste e no próximo ano, o governo deve anunciar nos próximos dias outras 120.

 

Com as 140 existentes até 2002, mais as 214 inauguradas no governo anterior, a rede federal deverá contar com cerca de 600 unidades escolares administradas por 38 institutos federais.  

 

Segundo o governo, com a expansão, serão atendidos mais de 600 mil estudantes.

 

Os cursos técnicos serão oferecidos pelo sistema S (Senai, Sesi, Senac e Sesc), pela rede federal de educação, que hoje conta com 354 unidades, e até por instituições privadas cadastradas pela Rede Pronatec.

 

O governo estabelecerá convênios com os estados, para colaborar com obras de infraestrutura e recursos pedagógicos para a formação dos jovens.

 

Para dar conta da demanda dos cursos, o programa preetende ampliar o sistema S, com recursos do BNDES. O governo anunciou que pretende implantar a maior parte dos projetos, agora em execução, entre 2012 e 2013.

 

Atualizado às 19h37.

Mais conteúdo sobre:
ensino profissionalizante pronatec

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.