Professores vaiam prefeita em formatura

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), foi vaiada durante a formatura de cerca de 3 mil professores da rede municipal no Clube Juventus, na Mooca, zona leste, na quinta-feira. Eles participaram do Programa de Formação de Professores Alfabetizadores (Profa).A manifestação da platéia começou logo que Marta entrou no salão e atravessou o corredor no meio da platéia a caminho do palco. Aplausos se misturam às vaias, que se intensificaram quando a prefeita foi chamada para subir ao palco.Só houve trégua durante os discursos que antecederam o da prefeita. Nem mesmo a secretária municipal da Educação, Aparecida Perez, saiu imune.As vaias voltaram para valer quando Marta começou a discursar. Um "boa tarde" mal pôde ser ouvido, mas a prefeita continuou e fez à platéia uma versão resumida do discurso que havia feito pela manhã na Prefeitura para apresentar um balanço do seu governo.Enquanto falou de saúde e transporte, os professores ficaram em silêncio. Foi só tocar na questão salarial dos educadores que as vaias voltaram.Quando a prefeita disse que encontrou a educação abandonada, vieram da platéia alguns gritos de "E continua". Marta pediu calma. No fim do pronunciamento, a prefeita conseguiu arrancar aplausos de parte dos presentes quando se referiu aos investimentos na formação da categoria.Na saída, porém, mais vaias. Ela chegou a abraçar uma formanda da platéia, mas ouviu de outra: "A senhora acha que R$ 596 para um professor é um bom salário?"Alguns professores afirmaram ter sido obrigados a ir ao evento "para fazer volume". Eles não eram formandos e ainda estão fazendo o curso. A secretária disse desconhecer o fato. Segundo ela, a atual gestão reajustou em 24% o salário da categoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.