Professores estaduais decidem manter greve em São Paulo

Eles rejeitaram a proposta da Secretaria de Estado da Educação de reajuste no salário-base de até 12,2%

Carolina Freitas, Agência Estado

20 de junho de 2008 | 15h34

Os professores da rede estadual de ensino de São Paulo decidiram há pouco, em assembléia, manter a greve da categoria iniciada na segunda-feira, 16. Eles rejeitaram a proposta da Secretaria de Estado da Educação de reajuste no salário-base de até 12,2%. Os professores reivindicam a revogação do decreto que limita as transferências e cria uma prova anual para contratar professores, além de reajuste que leve o piso da categoria para R$ 2 mil. A assembléia aconteceu no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), na avenida Paulista. Agora os professores seguem em passeata rumo à Rua da Consolação e à Praça da República, onde logo mais haverá um ato unificado de todas as categorias que trabalham na Educação.

Tudo o que sabemos sobre:
educaçãoSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.