Professores elogiam exame da Unicamp e dizem que ele não trouxe surpresas

Prova da primeira fase teve Gerações como tema geral; lista de aprovados sai em 16 de dezembro

Marcelle Souza, Especial para o Estado de S. Paulo

15 Novembro 2009 | 21h01

Professores de cursinhos consideraram bem elaborado o vestibular da Unicamp, cujo tema geral foi "Gerações", e dizem que ele não surpreendeu alunos razoavelmente preparados.Segundo eles, enunciados precisos exigiam dos candidatos capacidade de interpretação, conhecimento do tema e uma boa redação. "A prova foi tranquila de um modo geral, nenhuma questão fugiu dos conhecimentos básicos exigidos na primeira fase", afirma Miguel Castro, diretor editorial do Cursinho COC. Para ele, candidatos a uma vaga no curso de Medicina, que tem a maior concorrência desse vestibular, precisam ter acertado, no mínimo,70% das questões. Na primeira fase, os vestibulandos tiveram de responder neste domingo a 12 questões dissertativas de ciências biológicas, física, geografia, história, matemática e química, e fazer uma redação. Entre os professores do Anglo, a opinião unânime foi de que o vestibular teve questões de nível adequado. "Um detalhe dessa prova é que o aluno não deve ter só conhecimento do assunto, mas também é importante saber elaborar uma resposta bem escrita", avalia o coordenador Luis Ricardo Arruda de Andrade. Segundo ele, a única falha estrutural da prova é que são apenas duas questões por matéria. "A Unicamp tem uma primeira fase que não é dificil. As perguntas de biologia e história foram clássicas. Geografia cobrou aspectos fundamentais de demografia e desenvolvimento sustetável, que os alunos tinham que saber. Já as de química e física devem decidir os cursos mais concorridos", comenta o professor Edmilson Mota, do Etapa.   No Cursinho da Poli o que mais chamou a atenção foi uma das questões de história que abordava o coflito de gerações entre d. Pedro I e d. Pedro II. "Foi bem inteligente", avalia a coordenadora Alessandra Venture, que caracterizou o tema da redação, "Conflito de Gerações" como atual e interessante. "O assunto começou no Enem do ano passado, que falou sobre idosos. Então o aluno bem antenado não sentiu grandes dificuldades", diz Alessandra.   Na avaliação do coordenador de redação do Objetivo, Francisco Achcar, o tema da redação também foi bem escolhido."Como é tradicional das provas da Unicamp, o tema é exigente, inteligente e de grande importância para os candidatos. É um assunto atual e exige que os alunos sejam capazes de pensar", afirma Achcar.   "Preferimos os temas de ordem geral para evitar aqueles dois, três temas do ano e que os alunos venham com a redação pronta", afirmou o professor Renato Pedrosa, coordenador da Comvest, comissão  responsável pelo exame da Unicamp, para justificar a escolha do tema Gerações para permear a prova. "A ideia não foi enfatizar os conflitos, mas as diferenças entre as gerações. Esse é um tema próximo dos jovens, que estão começando a vivenciar essas relações", completou a coordenadora acadêmica do vestibular, professora Fosca Pereira Leite. No dia 16 de dezembro a Comvest vai divulgar a lista dos aprovados para a segunda fase e os locais de prova. A segunda etapa do vestibular será realizada de 10 a 13 de janeiro, com oito provas dissertativas (duas por dia). As provas de aptidão para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música ocorrerão entre 18 e 21 de janeiro. A primeira chamada será divulgada em 4 de fevereiro.  

Mais conteúdo sobre:
pontoedu vestibular Unicamp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.