Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Professores da rede estadual em greve ocupam Praça da Sé

Manifestantes se concentram ao lado do Palácio de Justiça, onde ocorre uma audiência de conciliação com a Secretaria de Educação

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2015 | 16h47

SÃO PAULO - Cerca de 200 manifestantes ligados ao Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) ocupam a Praça da Sé, no centro de São Paulo, na tarde desta quinta-feira, 7. O grupo se concentra na Rua 11 de agosto, ao lado do Palácio de Justiça, onde ocorre a primeira audiência de conciliação entre o sindicato dos docentes e a Secretaria de Estado da Educação. O prédio está cercado pela Polícia Militar. 

Os professores da rede estadual de São Paulo estão em greve desde o dia 16 de março. Eles pedem reajuste de 75,33% no salário, além de melhores condições de trabalho.


Na manhã desta quinta, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PDSB), afirmou que não vai negociar com os professores da rede estadual na audiência que ocorre na tarde desta quinta. 

O argumento é que a categoria já recebeu aumento salarial de 45% nos últimos quatro anos, que representaria 21% de ganho real. O último foi em julho de 2014. "Não tem como dar reajuste de oito em oito meses", disse o governador nesta quarta-feira, 6. A Apeoesp reivindica aumento de 75,33% para equiparação salarial a outras categorias com ensino superior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.