'Professor é mais essencial que nunca', afirma educador

Antonio Nóvoa participou da Feira Educar 2011, que termina neste sábado, e falou à Estadão/ESPN

Estadão.edu

20 Maio 2011 | 18h06

Acaba neste sábado, 21, a Feira Educar 2011, evento que reúne uma série de profissionais envolvidos na área. Entre os palestrantes internacionais, participaram o sociólogo italiano Domenico de Masi, o norte-americano David Thornburg, um dos maiores especialistas mundiais em tecnologia na educação, o sociólogo suíço Philippe Perrenoud e o educador espanhol Francesc Imbernón.

 

Além de ideias sobre a educação, o evento debate até o mobiliário ideal para ser usado. Entre os expositores, estão os cursinhos Positivo, Objetivo, Uno, Pueri Domus e Anglo, as editoras Vozes, Opet e Artmed e os fabricantes de móveis Desk, Metadil e Nilko.

 

Segundo o organizador do evento, Marco Melo, a feira teve como objetivo a capacitação de educadores, mas também de todas "as pessoas ligadas diretamente ou não à formação das crianças, inclusive os pais".

O reitor da Universidade de Lisboa, o educador Antonio Nóvoa, foi um dos estrangeiros que participaram da feira. Ele comentou com exclusividade à âncora da rádio Estadão/ESPN Mia Bruscato sobre o papel central do professor na Educação, mesmo com revoluções tecnológicas no setor.

 

"O professor é mais essencial que nunca. Antes ele era a biblioteca viva que transmitia conhecimento. Hoje, o conhecimento não está só no professor, mas em toda a sociedade. Hoje o professor deve criar condições para que os alunos se apropriem desse conhecimento", diz Nóvoa.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.