Professor do Mackenzie é afastado temporariamente

Docente de Direito que ameaçou dar voz de prisão a aluna não está dando aulas desde o início do mês

Estadão.edu

19 Setembro 2011 | 18h59

Após ameaçar dar voz de prisão a uma aluna no fim de agosto, o professor de Direito Paulo Marco Ferreira Lima, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, está afastado das atividades acadêmicas desde o começo deste mês. A informação foi confirmada pelo próprio docente nesta segunda-feira, em entrevista ao Estadão.edu. Segundo o professor, ele foi afastado enquanto o processo administrativo interno apura os fatos.

 

"Não é uma punição. É apenas para resguardo até que tudo seja esclarecido", afirmou Paulo Marco, que é procurador de Justiça. O caso também está sendo investigado pela Corregedoria do Ministério Público Estadual, que deve terminar a apuração até o fim de novembro. A reitoria foi procurada pela reportagem, mas não quis se pronunciar.

 

Para lembrar

 

O caso ocorreu em 26 de agosto. O professor foi abordado por uma aluna do 5.º semestre do curso. Ela discordava de sua metodologia de ensino. Ele teria proibido a moça de entrar na sala de aula, chamou os seguranças e ameaçou dar voz de prisão. De acordo com o procurador, a aluna estava descontrolada e poderia até atacá-lo fisicamente.

 

O diretório acadêmico de Direito da universidade divulgou nota de repúdio à atitude do professor. Irmão do docente, o também professor do Mackenzie Marco Antônio Ferreira Lima, acusou a aluna, que não quer se identificar por temer represálias, de ter chamado seu irmão de "negro sujo" e que "preto não pode dar aula no Mackenzie".

Mais conteúdo sobre:
MackenzieDireito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.