Professor de escola federal terá reajuste de até 51,9%

Governo e sindicalistas chegaram nesta segunda-feira a um acordo para reajustar o salário de professores do ensino fundamental, médio e tecnológico das instituições federais. Ao todo 22.528 professores da ativa e também aposentados serão beneficiados por aumentos que, segundo o ministro do Planejamento, Guido Mantega, irão variar de 9,6% a 51,9% dependendo da categoria de cada um.O reajuste será retroativo a maio e a intenção do governo é começar a pagar o valor devido já na folha de salário deste mês, que será paga em agosto. Com isso, haverá uma despesa adicional do governo de R$ 96,857 milhões até o final do ano, segundo os cálculos dos técnicos do ministério.Para formalizar o aumento já neste mês, o governo terá de aprovar um pedido de verba suplementar em discussão no Congresso Nacional e também precisará editar uma medida provisória estabelecendo os novos valores das gratificações pagas aos professores das categorias beneficiadas com o reajuste.Isso porque o acordo prevê a extinção de uma gratificação antiga (Gratificação de Incentivo à Docência - GID), que atualmente varia de acordo com o desempenho do professor e da pontuação a ele atribuída pelo seu chefe imediato.Os professores negociaram o fim dessa avaliação e a criação de uma nova gratificação fixa de acordo com a categoria de cada um. Isso possibilitará, por exemplo, que o salário inicial para um professor que trabalha 20 horas semanais suba de R$ 819,07 para R$ 1.005,10, um reajuste de 22,71%.O profissional aposentado nessa categoria terá um reajuste de 31,39%, já que, até então, ele tinha um salário menor (R$ 764,99) e, agora, passará a receber o mesmo valor do professor da ativa.Os professores da ativa com doutorado e que trabalham com dedicação exclusiva, a maior classificação, terão reajuste de 9,6% com o salário passando de R$ 5.001,42 para R$ 5.481,42. Já os aposentados nessa categoria, terão aumento de 24,49%. O salário atual de R$ 4.403,42 subirá para R$ 5.481,42.Os que terão o maior reajuste, segundo os técnicos do Planejamento, serão os professores aposentados e que trabalham 40 horas semanais.

Agencia Estado,

12 de julho de 2004 | 22h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.