Professor analisa novo modelo de redação da Unicamp

Exame de 2011 exigirá do candidato que escreva textos em três gêneros diferentes

Carolina Stanisci, Estadão.edu

24 de maio de 2010 | 23h30

Uma das maiores mudanças anunciadas no ano passado no Vestibular 2011 da Unicamp diz respeito à redação. Na 1ª fase, os candidatos terão obrigatoriamente de escrever três textos. Os gêneros só serão revelados na hora da prova. Podem variar entre narrativa, dissertação, carta, editorial, e-mail e entrevista, entre outros.

 

 

A novidade surpreendeu vestibulandos e professores de cursinhos, acostumados com o antigo formato, em que se escolhia uma das três propostas de gênero fixas: narrativa, dissertação e carta. “A ideia não foi tornar a prova mais difícil. Quem sabe escreve bem qualquer tipo de coisa. Os três textos propostos cobrem uma gama razoável das experiências de escrita na vida real”, diz o coordenador da Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp, Renato Pedrosa.

 

 

Para ter uma amostra de como será o desempenho dos candidatos, o Estadão.edu pediu a quatro alunos do cursinho Etapa que fizessem a redação do simulado realizado pela Unicamp no dia 16. No exame, foi proposto aos alunos que escrevessem, a partir de três coletâneas diferentes, uma carta, um editorial e uma entrevista (neste último caso, com a formulação de perguntas e respostas).

 

 

O resultado foi avaliado pelo professor de português do Etapa Heric José Palos. “O desempenho deles ficou na média. Nada me surpreendeu nem me decepcionou”, afirma o professor. “Quem for prestar Unicamp tem de ficar ligado nos mais diversos gêneros. Na próxima prova, pode ser pedida uma peça de teatro. Eles querem do aluno domínio amplo de vários gêneros redacionais e o que às vezes parece uma surpresa não é. Editorial é como se fosse dissertação. Não tem a nada ver com inspiração. É preciso ter domínio da técnica redacional.”

 

 

Entrevista

 

Proposta: A partir de reportagem sobre uma oficina para pessoas com deficiência, o aluno deve se colocar no lugar de um diretor de escola entusiasmado com a ideia, que entrevista a coordenadora mencionada no texto

Análise: “Alunos perderam tempo demais copiando integralmente partes do texto, o que era proibido. Eles devem tomar cuidado para não cair na pieguice e precisam se familiarizar mais com o gênero da entrevista”

 

Carta

 

Proposta: Aluno deve se colocar no lugar de um adulto que teve uma infância triste e escrever para o autor de uma crônica que trata da conversa de duas professoras, em um ônibus, sobre o “olhar do menino triste”

Análise: “Talvez fosse interessante mencionar o bullying, que é atual. Mas acho que os alunos se fixaram na ideia da tristeza e apelaram um pouco para o piegas. Eles devem tomar cuidado com a escrita da carta”

 

 

Editorial

 

Proposta: Estudante deve se colocar no lugar de um jornalista que escreve um editorial para um grande jornal, discutindo a questão do crescimento do lixo eletrônico no Brasil

Análise: “Como fizeram esse texto por último, os alunos pareciam estar cansados. Talvez não estejam familiarizados com esse gênero. Mas não devem se assustar, pois é semelhante a uma dissertação”

 

Mais conteúdo sobre:
Unicampvestibularredação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.