TIAGO QUEIROZ/ESTAD?O
TIAGO QUEIROZ/ESTAD?O

Procuradora quer que MEC se explique sobre lista de alunos em ocupações

Ofício do ministério determinou que gestores institutos federais indicassem os nomes dos estudantes que participam do movimento de ocupação de colégios

Isabela Bonfim, O Estado de S. Paulo

25 Outubro 2016 | 20h58

BRASÍLIA - A subprocuradora Deborah Duprat, titular da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, vai encaminhar pedido de informações ao Ministério da Educação (MEC), para que o governo se explique sobre o ofício que determinou que gestores institutos federais indicassem os nomes dos estudantes que participam do movimento de ocupação nas escolas. Deborah quer saber qual o motivo da identificação dos estudantes. 

A decisão da procuradora foi tomada após reunião com as senadoras Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ).

 

 

Na semana passada, o MEC enviou ofício aos dirigentes da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica determinando que eles enviem os nomes dos estudantes que ocupam unidades de ensino em todas as regiões do País, em manifestação contra a reforma do ensino médio e corte de gastos para a educação. 

"A delação é uma medida autoritária e inadmissível em uma democracia, especialmente no ambiente escolar, onde as negociações devem se pautar no diálogo e no respeito a pensamentos diferentes. Estes meninos discordam das ações do governo que, na opinião deles, colocam em risco a qualidade da educação brasileira", destacou a senadora Fátima.

Na segunda-feira, 24, um grupo de 18 senadores de diversos partidos protocolou representação junto ao Ministério Público do DF e Territórios para anular o ofício, por acharem que a medida visa a coibir o direito de livre manifestação dos estudantes.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.