Procon alerta pais sobre transporte escolar

A Fundação Procon divulgou recomendações aos pais que procuram transporte escolar para os filhos. As informações são úteis principalmente na capital, que enfrenta problemas com peruas clandestinas. Atualmente são 10 mil transportadores escolares trabalhando na cidade.Antes de qualquer contratação, o Procon recomenda que seja verificado o cadastro do veículo e do motorista na Prefeitura. Só assim, segundo a técnica de defesa do consumidor da fundação, Maria Cecília Rodrigues, as condições de segurança e manutenção serão garantidas. "Também é sempre bom ouvir outros pais e a direção da escola para pegar referências", afirma.Ela diz ainda que é preciso checar como o motorista recepciona a criança, onde ele estaciona o carro e exigir um contrato de prestação de serviço. A forma de pagamento, segundo o Procon, pode ser por anuidade ou parcelada de outras maneiras. "Os pais devem fazer uma ampla pesquisa porque se surpreenderão com a variação de preços", diz a técnica.Segundo o Sindicato dos Transportadores Escolares, atualmente 500 mil crianças utilizam o serviço na capital. Parte delas - 60 mil - vão e voltam da escola às custas da Prefeitura e o restante estuda na rede particular de ensino. Mesmo com o número expressivo, o transporte é oferecido apenas pelas grandes escolas. Na maioria das vezes, o pai precisa procurar por conta própria o serviço. "Não é interessante para a escola porque o custo de manutenção é muito alto já que ela precisaria registrar mais funcionários, que não trabalhariam nos meses de férias", diz o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (Sieeesp), José Augusto de Mattos Lourenço.Mesmo que o colégio ofereça o serviço ou mantenha convênio com motoristas, o Procon avisa que esse transporte deve ser optativo. Em todo o Estado, são hoje 20 mil transportadores escolares, grupo que cresceu muito nos anos 90. No início da década passada, eram pouco mais de mil motoristas. Atualmente, além das antigas peruas, os condutores oferecem vans e microônibus.O Procon recebeu no ano passado, 71 consultas e 14 reclamações sobre transporte escolar. O maior problema é não fornecimento do serviço. Dúvidas e reclamações pelo telefone 1512.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.