Princeton chega ao topo de ranking das faculdades dos EUA

Princeton chega ao topo do mais recente ranking de faculdades do U.S.News & World Report, quebrando três anos de empate com Harvard. Yale volta a aparecer na terceira colocação da classificação, polêmica porém acompanhada com atenção pelo público. Empatados em quarto lugar estão os institutos de tecnologia da Califórnia (CalTech), de Massachusetts (MIT) e Stanford.A Universidade da Pensilvânia cai de quarto para sétimo lugar e Duke, de quinto para oitavo. O guia America´s Best Colleges chega às bancas de revista dos Estados Unidos na próxima segunda-feira, e classifica a Universidade da Califórnia em Berkeley como a melhor universidade pública, e em 21º lugar no índice global.A fórmula que gera os rankings contém dados como taxa de alunos formados, porcentagem dos ex-alunos que fazem doações e os recursos financeiros das instituições. Mas o fator de maior peso é a reputação da cada instituição em meio às demais.Muitas instituições criticam o ranking, mas todas o levam a sério. A Universidade de Chicago, enfrentando queixas de ex-alunos sobre sua posição na lista, diz ter reexaminado os dados apresentados à publicação, concluindo que estava informando menos recursos do que realmente dispunha. Sua classificação saltou de 15º lugar para o nono."Se as escolas sobem dois pontos ou caem dois, isso não é significativo para nós", diz o editor-executivo BrianKelly. "A diferença entre a primeira e a décima é minúscula. Se nossos leitores a consideram ou não minúscula, isso é com eles".Princeton, que quebra o empate com outras instituições e assume a liderança isolada do ranking, emitiu nota declarando-se "feliz que nosso compromisso em fornecer a melhor qualidade em educação de graduação continue a ser reconhecido", mas ressalva que "nenhum método de pontuação pode capturar as características que distinguem uma instituição".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.