Primeira infância é essencial para o aprendizado, diz artigo

Como criar um filho inteligente? Com o mercado cheio de brinquedos e aulas especiais, é difícil para os pais decidir a melhor forma de garantir que o cérebro da criança prospere. Mas um artigo que será publicado no periódico americano Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS) promete dar alguma tranqüilidade aos adultos: o que a criança realmente precisa é uma relação segura com adultos que brinquem bastante com ela."Brincar com seu filho é tudo", diz Eric Knudsen, professor da Escola de Medicina da Universidade Stanford. A capacidade de uma criança de, um dia, aprender cálculo ou uma língua estrangeira, explica ele, começa nos neurônios que são moldados por interações positivas com adultos carinhosos. O artigo, escrito por Knudsen e três outros membros do Conselho Científico Nacional para o desenvolvimento das Crianças - e que inclui o economista ganhador do Prêmio Nobel James Heckman - pretende lançar uma base científica para a idéia de que ajudar todas as crianças a ter a melhor experiência possível no início da vida é uma boa política econômica.O argumento baseia-se em trabalhos de diversos campos da economia, da neurobiologia, da psicologia e da política pública. Embora muita pesquisa já tenha sido publicada sobre o valor de experiências positivas no início da vida, o artigo da PNAS junta todos os fios numa mensagem integrada. Um dos autores do trabalho, o médico Jack P. Shonkoff, diz esperar que o artigo influencia políticas públicas nos Estados Unidos. Segundo ele, para se manter economicamente forte o país precisa que a população possa tirar o máximo da educação, e que, para isso, é preciso que o cérebro esteja preparado para aprender.

Agencia Estado,

26 de junho de 2006 | 18h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.