Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Primeira fase da Unicamp é curta e objetiva

Os estudantes fizeram 48 questões de múltipla escolha e tiveram de redigir três textos de gêneros diferentes

Tatiana Fávaro / CAMPINAS, O Estado de S. Paulo

13 Novembro 2011 | 23h38

A Comissão Permanente para os Vestibulares (Comvest) da Unicamp aplicou neste domingo uma prova mais curta e objetiva na primeira fase de seu vestibular 2012. A repercussão entre os candidatos foi positiva.

 

“Prestei o vestibular no ano passado e a prova me parecia mais difícil”, disse o estudante Tiago Bodin Martins, de 19 anos, candidato a uma vaga de Ciência da Computação.

 

“Não foi uma prova mais fácil. Foi mais direta que a do ano passado”, afirmou a coordenadora acadêmica da Comvest, professora Fosca Leite. “A prova teve menos texto, mas não estava nem menos difícil, nem menos contextualizada.”

 

A contextualização em temas ligados à realidade dos candidatos, aliás, foi um dos pontos mais fortes da prova, feita por 56.961 dos 61.508 inscritos, o equivalente a uma abstenção de 7,39%. No vestibular 2011, esse índice foi de 6,86% na primeira fase.

 

 

Pela primeira vez, a Unicamp optou por desclassificar candidatos que fossem flagrados com aparelhos celulares durante a prova e 50 pessoas foram eliminadas do processo seletivo. “É uma medida dura, mas não é impossível ficar sem celular por quatro horas”, disse o coordenador executivo da Comvest, Maurício Kleinke.

 

Pelo segundo ano, a Unicamp formulou 48 testes de conhecimentos gerais e exigiu três textos na prova de redação. Os três abordaram, de formas diferentes, a internet. Para Francisco Platão Saviolli, do Anglo, o modelo é difícil porque exige que o candidato direcione a atenção para três focos. “São assuntos que fazem parte da rotina do aluno e exploram a capacidade de se posicionar sobre cada uma das propostas”, disse.

 

Para os professores de cursinhos, a prova estava bem elaborada. No entanto, alguns criticaram algumas questões. O coordenador do Anglo, Luis Ricardo Arruda, afirma que a questão 43 (no caderno Q e Z) não tem resposta. Em biologia, o professor Luiz Carlos Bellinello, do Objetivo, afirma que a banca mudou o foco da prova. “Fizeram questões que exigiram conhecimento mais profundo, com alternativas longas”, disse.

 

O gabarito será divulgado nesta segunda-feira, 14, no site www.comvest.unicamp.br. Na quinta-feira, 17, será publicada a expectativa da banca para a redação. A lista de aprovados para a segunda fase do vestibular sai no dia 20 de dezembro.

 

São oferecidas 3.444 vagas em 66 cursos de graduação da Unicamp e dois cursos da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp). / COLABOROU CARLOS LORDELO, DO ESTADÃO.EDU

Mais conteúdo sobre:
Unicamp Vestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.