Preparação na reta final

Especialistas ouvidos pelo ‘Estado’ dão dicas para enfrentar o mês que antecede o exame

Bárbara Ferreira Santos, Victor Vieira, de O Estado de S. Paulo,

24 Setembro 2013 | 08h32

A pouco mais de um mês para a realização do Enem - entre os dias 26 e 27 de outubro -, é hora de planejar os estudos finais e encontrar formas para controlar a ansiedade. Especialistas dão três dicas úteis para quem está nessa reta final e quer se dar bem no exame: 

 

Planeje os estudos. Para quem se dedicou desde o começo do ano, agora é hora de revisar o conteúdo e focar nos assuntos em que há mais dificuldade. Já quem começou agora, essa é a hora de estudar com foco total. Não dá tempo de revisar todo o conteúdo do ensino médio? Anote aqueles mais difíceis e invista em exercícios sobre eles. 

 

Faça simulados. A principal dica é ganhar intimidade com o modelo do exame. Fazer provas semelhantes ao Enem e resolver um grande número de questões é fundamental para um bom desempenho. Afinal, a prova é também um desafio físico e emocional. Esteja pronto para enfrentar longas horas de testes sentado. Invista em interpretação de textos, gráficos e charges. 

 

Controle a ansiedade. Nem só de estudo deve ser essa reta final. É preciso planejar as horas de lazer e os momentos de concentração. E, atenção: controle as horas de sono. Não adianta entrar noite adentro estudando, ficar pregado e voltar para os livros sem energia. “É preciso planejar o descanso, ele é importante também. Temos de aprender a lidar com isso nos grandes projetos de nossas vidas”, diz Edmilson Motta, coordenador do Curso Etapa.

 

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

1. Energia: transformações, termoquímica, consumo consciente, fontes alternativas e circuitos elétricos;

2. Radiação: ressonância magnética, micro-ondas e prejuízos ao organismo, como o uso de armas químicas em guerras;

3. Ecologia: desequilíbrios ambientais, impactos causados pela agricultura e pecuária, eutrofização de rios e lagos, efeito estufa, reciclagem e cadeias alimentares;

4. Cinemática: aplicações das leis de Newton, astronomia, gravitação e tipos de movimento;

5. Saúde humana: doenças ligadas a bactérias, vírus e protozoários;

6. Forças intermoleculares: interação entre moléculas em sua aplicação prática, como base para a tecnologia de hidratantes e medicamentos;

7. Tecnologia: equipamentos eletrônicos, física nuclear e processos industriais.

 

Redação

1. Participação política da juventude, ativismo na internet e protestos nas ruas;

2. Reforma política e formatos de consulta popular;

3. Violência urbana, maioridade penal, sistema carcerário e penas alternativas;

4. Efeitos da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016 no Brasil;

5. Desafios de mobilidade, planejamento urbano, tarifa gratuita de ônibus e alternativas de transporte público;

6. Crise na saúde pública;

7. Consumo sustentável;

8. Direitos dos indígenas e conflitos de terra;

9. Conflito entre ética e ciência.

 

Ciências Humanas e suas Tecnologias

1. Demografia: envelhecimento populacional, queda da mortalidade infantil e transição demográfica;

2. Recursos naturais: exploração do pré-sal e recordes na produção agrária;

3. Crise: planos de austeridade na zona do euro, recuperação econômica americana e desaceleração dos países

emergentes;

4. Nordeste: expansão econômica, problemas de infraestrutura e estiagem;

5. Sociedade: desigualdades entre classes e gêneros, imigração e efeitos da escravidão no País;

6. Constituição: mudanças e desafios da Carta de 1988;

7. Transformações: revoluções francesa, inglesa e industrial;

8. Relações financeiras: comércio internacional, protecionismo, guerra cambial e blocos econômicos;

9. Guerras: conflito na Síria. Tensão entre Israel e Palestina.

 

Matemática e suas Tecnologias

1. Interpretação de gráficos e tabelas;

2. Cálculo de porcentagens, lucros e prejuízos;

3. Análise combinatória e probabilidade;

4. Geometria plana e espacial;

5. Transformação de unidades de comprimento, área e volume;

6. Estatística: cálculo de moda, média, mediana e desvio padrão.

 

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

1. Interpretação e identificação de características dos gêneros textuais;

2. Diferenças entre norma culta e uso coloquial da língua, estrangeirismos e regionalismos;

3. Reconhecimento e discussões de escolas literárias;

4. Expressões artísticas, como literatura, pintura e música, relacionadas a questões sociais;

5. Usos da linguagem na internet e transição da leitura no papel para novos suportes tecnológicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.