Prejuízo com ocupação na reitoria da USP foi de R$ 2,4 milhões

Reitoria planeja entrar na Justiça com pedido de reparação pelos danos causados no prédio da administração central

O Estado de S. Paulo

19 Novembro 2013 | 17h55

Os prejuízos causados pela ocupação no prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP) são de R$ 2,4 milhões, informou nesta terça-feira, 12, a Assessoria de Imprensa da instituição. A universidade entrará na Justiça com um pedido de reparação contra o Diretório Central dos Estudantes, além do Sindicato dos Trabalhadores e da Associação de Docentes da USP. O edifício da administração central esteve, entre 1º de outubro e 12 de novembro, ocupado por alunos que reivindicavam eleições diretas para reitor.

O balanço final indica que houve furtos e danos a câmeras de monitoramento, equipamentos de informática, videoconferência e de telefonia, móveis, materiais de escritório, portas e paredes, além da infraestrutura de cabeamento de voz e dados do prédio e reparos elétricos da Torre do Relógio. Também foi registrado furto de equipamentos de tecnologia de informação no Centro de Vivência.

Por causa do fechamento orçamentário anual, não será possível comprar novos itens e fazer a prestação de contas ainda nesta gestão, comandada por João Grandino Rodas. Os procedimentos, de acordo com a USP, ficarão sob responsabilidade do novo reitor, que assumirá em janeiro de 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.