Prefeitos criticam projeto de erradicação do analfabetismo

O programa do governo Brasil Alfabetizado, que pretende erradicar o analfabetismo no País em quatro anos, já começou a ser criticado antes do seu lançamento oficial. Depois de ouvir uma explanação do ministro da Educação Cristovam Buarque sobre o assunto nesta segunda-feira, no Recife, o presidente da Associação Municipalista do Estado (Amupe), Sérgio Miranda (PFL), concluiu que "nem o governo sabe ainda o que é o programa".O ministro disse aos prefeitos presentes que basta telefonar ou escrever para o Ministério e apresentar seu projeto, tendo como pré-requisito não ter nenhuma pendência com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Se o projeto for aprovado, a prefeitura recebe R$ 15,00 por aluno/mês."Eu pensei que o ministro ia discutir os parâmetros do programa, mas para os prefeitos, o Brasil Alfabetizado continua totalmente obscuro", afirmou Miranda. "Eles jogam a responsabilidade para as prefeituras e vão nos culpar se o programa não der certo". Ele se queixou também do valor do repasse. "Os R$ 15,00 só dão para pagar o professor, as prefeituras vão arcar com custos muito maiores, como espaço, mobiliário, merenda, transporte, e eventualmente uma bolsa para os mais velhos se estimularem a participar", observou, ao considerar "injusto" um valor único para todo o Brasil, já que há municípios ricos com poucos analfabetos e municípios pobres com muitos analfabetos."Vou procurar o ministério, me informar melhor, e só depois vamos ver se os prefeitos pernambucanos vão ou não aderir ao programa", afirmou. O ministro não informou sobre os recursos disponíveis para o Brasil Alfabetizado.E disse ter sugerido ao presidente Lula que o programa fosse lançado nacionalmente no dia 14 de abril, aniversário de 39 anos do corte do programa de alfabetização Paulo Freire pela ditadura militar. Ele disse que enquanto não é lançado, está discutindo e levando a idéia aos Estados. Hoje ele visita o Ceará.O ministro pediu o envolvimento do governo estadual e das prefeituras e incentivou uma disputa entre eles para ver quem consegue alfabetizar mais. O Brasil tem cerca de 20 milhões de analfabetos com mais de 15 anos.Seis municípios pernambucanos já apresentaram projeto de alfabetização ao ministério, que recebeu um total de 38 projetos de todo o País. Nenhum deles teve ainda recursos liberados. Depois da conversa com os prefeitos, na sede da Amupe, o ministro participou de uma passeata pelo centro do Recife, divulgando o programa do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.