Por uma educação melhor até 2022

Os maiores empresários do País e diversos educadores lançam nesta quarta-feira às 11h30, nas escadarias do Museu do Ipiranga, em São Paulo, o movimento Todos pela Educação. O compromisso, que defende uma maior conscientização da sociedade com relação à importância do ensino de qualidade, tem também o apoio de representantes do governo. O ministro da Educação, Fernando Haddad, participará do evento."A educação é a mais importante política pública", diz Milu Vilela, uma das idealizadoras do movimento. O grupo inclui ainda nomes como Luiz Norberto Pascoal, Viviane Senna, José Roberto Marinho, Ana Maria Diniz e Jorge Gerdau. A idéia é lançar o compromisso na véspera do dia da Independência do Brasil porque, segundo os organizadores, não existe verdadeira independência sem educação.Nesta quarta serão lançadas metas detalhadas que devem ser atingidas no ensino básico no País e que serão cobradas pelo grupo ao longo dos anos. O objetivo do movimento não é indicar melhores práticas, e sim levantar a discussão sobre a educação e despertar a paixão pelo assunto no País. Entre os temas que serão encampados, estão a obrigatoriedade de todas as crianças com 8 anos saberem ler e escrever, de todos os alunos concluírem o ensino fundamental e o médio e a garantia de uma boa gestão dos recursos da área.O compromisso vai durar até o ano de 2022, quando são comemorados os 200 anos da Independência do País. "Será um evento simbólico, com professores, alunos, diretores, para nos mobilizarmos em prol da educação", completa Milu, sobre a manifestação desta quarta.O compromisso Todos pela Educação começou a ser organizado em 2005, quando os empresários participaram de dezenas de entrevistas com educadores e gestores públicos sobre os principais problemas da educação brasileira. Neste ano, foram realizados workshops de planejamento; o grupo terá quatro comitês e um deles será destinado apenas à divulgação de notícias sobre educação. Um dos pontos muito discutidos é o desempenho dos alunos em avaliações nacionais e internacionais. No Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), por exemplo, realizado em mais de 40 países, o Brasil aparece em último lugar em provas de leitura e matemática. O QUE É O MOVIMENTOOrigem: Empresários e educadores discutiram os principais problemas da educação brasileira e definiram metas que serão cobradas pelo movimentoLançamento: Nesta quarta-feira, no Museu do Ipiranga, as metas serão divulgadas e se dará início à mobilizaçãoPlanos: O grupo vai cobrar até 2022 o cumprimento das metas

Agencia Estado,

06 de setembro de 2006 | 11h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.