Por telefone, aprovados na Fuvest são vítimas de trote

Estudantes aprovados no Vestibular 2004 da Fuvest para dois cursos da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL) da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto foram alvo de um trote telefônico que poderia fazê-los perder suas vagas na instituição. Eles receberam em casa a ligação de uma pessoa que se identificava como funcionário da universidade e dizia que a matrícula havia sido adiada.Ao confundir os candidatos, o autor das ligações poderia estar apenas fazendo uma brincadeira de mau gosto, mas também poderia estar tentando fazê-los perder a matrícula, deixando suas vagas para os que estão na lista de espera.A direção da USP e da Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) emitiram comunicado nesta sexta-feira esclarecendo que não houve nenhuma mudança nos dias de matrícula, que serão segunda (9) e terça-feira (10). "Tomamos algumas providências para não deixar que os candidatos aprovados sejam ludibriados", disse o coordenador de vestibular da Fuvest, Roberto Costa.Telefone públicoAs ligações foram feitas entre esta quinta-feira e sexta-feira para aprovados nos cursos de Matemática Aplicada a Negócios (45 vagas) e Ciências da Informação e Documentação (40 vagas). O "funcionário" mencionava os números da inscrição e da identidade dos candidatos aprovados para dar credibilidade a suas palavras e dizia que a matrícula havia sido adiada para o dia 12, quinta-feira, por causa da ?falta de funcionários?.Quem acreditasse, deixaria de se matricular nos dias determinados para ir à instituição dois dias depois do prazo, perdendo a sua vaga para outro candidato da lista de espera.Segundo a secretária da Comissão de Graduação da FFCL de Ribeirão Preto, Sandra Helena Ferreira Rosa, algumas pessoas que receberam a ligação procuraram a faculdade para confirmar se havia mudança das datas de matrícula. Todas eram aprovadas naqueles dois cursos. O autor das ligações deixava com os candidatos um número para contato que, segundo Sandra, é de um telefone público próximo à reitoria da USP em Ribeirão Preto.?Brincadeira?Costa explicou que o número de inscrição do candidato é público, pois é divulgado na lista de aprovados, e que não é difícil identificar de qual cidade é o candidato aprovado, para procurar seu telefone no catálogo. Uma candidata aprovada, que mora em Campinas, recebeu a ligação no telefone fixo de sua casa, apesar de ter colocado somente o número do celular em sua ficha de inscrição na Fuvest.Apesar do empenho do autor das ligações, Costa não acredita numa articulação mais séria para prejudicar os aprovados. "Acredito mais numa brincadeira do que na tentativa de alguém tirar proveito, pois os cursos citados não são tão concorridos", explicou ele. "Se fosse no curso de Medicina, que é muito concorrido, aí sim eu acreditaria numa tentativa de tirar proveito da situação."O coordenador do vestibular informou que o site da Fuvest ( www.fuvest.com.br) está reafirmando que as matrículas ocorrem nos dias 9 e 10 e que jornais de grande circulação publicarão notas informativas a respeito do caso. "Também estamos contatando emissoras de rádio e a reitoria da USP vai distribuir uma material à imprensa", informou Costa.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2004 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.