Polícia Militar prende manifestantes durante evento com Serra

PM usou gás de pimenta, cassetetes e escudos para evitar que os cerca de 30 supostos integrantes da Apeoesp se aproximassem do tucano

Julia Duailibi, O Estado de S.Paulo

24 Março 2010 | 15h41

Uma semana após um grupo de professores em greve hostilizar o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), a Polícia Militar prendeu três manifestantes nesta quarta-feira, 24, durante evento na cidade de Francisco Morato. A PM usou gás de pimenta, cassetetes e escudos para evitar que os cerca de 30 supostos integrantes da Apeoesp se aproximassem do tucano.

 

Quarenta policiais militares da Força Tática tentaram impedir que os manifestantes usassem apitos e gritassem palavras de ordem próximos ao palanque onde Serra estava - o governador participava da inauguração de um hospital. Parte dos professores do Estado de São Paulo estão em greve desde o início para pedir reajuste salarial.

 

"A gente veio preparado. Na semana passada, tentaram jogar uma pedra no governador", disse o comandante do 23º Batalhão da PM, José Carlos de Campos Junior. Questionado sobre um dos policiais que, durante o tumulto, disse que iria "descer a porrada", o PM respondeu: "Vocês imaginam como são momentos de calor".

 

"Às vezes, se perde a cabeça, mas não existe isso de baixar a porrada".

Segundo o policial, os manifestantes foram detidos por desobediência e desacato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.